Teresina, 22 de junho de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Seis suspeitos são detidos após incendiar ônibus em Teresina como represália à ação policial

A Secretaria de Segurança do Piauí (SSP-PI) anunciou a prisão de seis suspeitos envolvidos no incêndio de ônibus em Teresina. Os ataques foram supostamente em retaliação a uma operação da Polícia Militar na Vila Mocambinho. Durante a operação policial, outros indivíduos foram presos por diferentes crimes.
A Secretaria de Segurança do Piauí (SSP-PI) anunciou a prisão de seis suspeitos envolvidos no incêndio de ônibus em Teresina.
Divulgação Polícia Civil

As autoridades identificaram Matheus de Sousa Santos, apelidado de Playboy, como o mentor dos ataques. Ele teria planejado a ação com a participação de Rodrigo Gregório da Costa, João Pedro Alves, Victor Vieira Rocha, Erick Reyjan Pavão Reis, conhecido como Colombiano, e João Pedro de Sampaio Alvarenga, apelidado de Búfalo.

O que é importante você saber: A SSP-PI divulgou imagens de seis homens detidos sob acusação de incendiar ônibus em Teresina em represália a uma operação policial realizada na Vila Mocambinho. As prisões ocorreram no dia seguinte aos ataques, durante uma ação das forças de segurança na capital do Piauí.

Mais prisões e apreensões durante a operação

Outras pessoas sem relação com os incêndios também foram presas na operação policial. Entre elas, P.V.B.G, conhecido como “Cremozinho”, acusado de tráfico de drogas; C.S. do N.; F. da S.R., com mandado de prisão em aberto por porte ilegal de arma; A.B. da S., acusado de tráfico de drogas; e W. de S.B., apelidado de “Padeco”.

Durante a ação, foram apreendidos um tambor de combustível, drogas, armas, munições, dois veículos, celulares, dinheiro em espécie e uma mochila com fogos de artifício, possivelmente usados no ataque criminoso.

A ação policial demonstra a importância do combate ao crime organizado e a necessidade de investir em segurança pública para garantir a tranquilidade dos cidadãos. As prisões e apreensões enfraquecem a atuação desses grupos e são fundamentais para a manutenção da ordem e da paz social.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você