Teresina, 12 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Febre maculosa no Brasil: saiba tudo sobre essa doença transmitida pelo carrapato-estrela

carrapato-estrela transmissor da Febre Maculosa.
Carrapato-estrela é o vetor de transmissão da Febre Maculosa; saiba os sintomas e como prevenir a doença.

Nos últimos anos, a febre maculosa tem se tornado uma preocupação crescente no Brasil. Dados do Ministério da Saúde mostram que a doença está se espalhando para estados antes considerados silenciosos em relação a essa enfermidade transmitida pelo carrapato-estrela. Recentemente, São Paulo confirmou uma morte e dois óbitos suspeitos relacionados à febre maculosa. Neste artigo, vamos esclarecer suas dúvidas e fornecer informações essenciais sobre a doença.

Quais os sintomas da febre maculosa

A febre maculosa apresenta uma série de sintomas característicos, que geralmente surgem de 2 a 14 dias após a picada do carrapato infectado. Os principais sintomas incluem:

  1. Febre alta: A temperatura corporal elevada é um sintoma comum da febre maculosa, podendo chegar a valores superiores a 39°C.
  2. Dor de cabeça intensa: A dor de cabeça é uma queixa frequente e pode ser bastante intensa, muitas vezes acompanhada de sensibilidade à luz (fotofobia) e ruídos (fonofobia).
  3. Dores musculares e articulares: Os pacientes podem apresentar dores nos músculos e articulações, que podem variar em intensidade.
  4. Manchas vermelhas na pele: Surgem manchas avermelhadas na pele, que geralmente começam nas extremidades (mãos, pés, antebraços) e se espalham para o restante do corpo. Essas manchas podem se assemelhar a pequenas lesões de sangramento.
  5. Náuseas e vômitos: Alguns pacientes podem sentir enjoos e apresentar episódios de vômito.
  6. Mal-estar geral: Pode haver uma sensação de indisposição, fraqueza e fadiga.

Sintomas da febre maculosa

É importante ressaltar que nem todos os pacientes apresentarão todos os sintomas e a gravidade pode variar de caso para caso. Caso você tenha sido exposto a áreas com carrapatos e esteja apresentando sintomas semelhantes, é essencial buscar atendimento médico imediatamente para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Situação da doença no Brasil

Desde 2001, foram registrados casos de febre maculosa nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Em 2003, a doença começou a se espalhar para Santa Catarina, tornando as regiões Sudeste e Sul as mais afetadas pela doença até hoje.

De acordo com o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2021, foram notificados 36.497 casos suspeitos de febre maculosa no país. Desse total, 7% foram confirmados como casos da doença, e 32,8% evoluíram para óbito. A média anual de casos suspeitos notificados foi de 2.433, sendo que o ano com o menor número de notificações foi 2009, enquanto em 2019 ocorreu o maior número.

Em relação aos casos confirmados, a média anual foi de 170, com variação entre 94, em 2008, e 284, em 2019. Quanto aos óbitos, houve uma variação entre 20 e 94 por ano, resultando em uma letalidade média de 32,8% ao longo do período. O ano de 2015 foi o mais letal, com uma taxa de letalidade de 42%.

Incidência da febre maculosa por região

A febre maculosa é uma doença notificada em praticamente todo o país, mas as regiões Sudeste e Sul são responsáveis por mais de 80% dos casos. No Sudeste, especificamente, há também o maior número de óbitos registrados (739). Já no Sul, apesar de Santa Catarina possuir o maior número de casos (509), não foram observados óbitos, devido à diferença do agente causador da doença e os quadros clínicos.

Causa e transmissão

A febre maculosa é causada por bactérias do gênero Rickettsia, transmitidas pelo carrapato-estrela (Amblyomma cajennense). No Brasil, duas espécies de bactérias estão associadas aos quadros clínicos da febre maculosa: a Rickettsia rickettsii, presente no norte do estado do Paraná e nos estados da região Sudeste; e a Rickettsia parkeri, encontrada em ambientes de Mata Atlântica, como no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia e Ceará.

A febre maculosa é uma doença preocupante que tem afetado cada vez mais pessoas em diversas regiões do Brasil. É importante estar atento aos sintomas, como febre alta, dor de cabeça, dores musculares e manchas vermelhas na pele, especialmente após exposição a áreas rurais ou com vegetação densa.

Prevenção da febre maculosa

Para prevenir a doença, é essencial adotar medidas de proteção contra carrapatos, como utilizar roupas adequadas ao frequentar esses ambientes, aplicar repelentes e fazer verificações cuidadosas no corpo após o contato com áreas propícias à presença desses parasitas.

Se você suspeitar de febre maculosa, é fundamental buscar assistência médica imediatamente para um diagnóstico preciso e tratamento adequado. Não hesite em entrar em contato com as autoridades de saúde locais para obter mais informações sobre a doença e as medidas preventivas específicas para sua região.

Fique informado, tome precauções e ajude a divulgar essas informações para conscientizar a população sobre a febre maculosa e prevenir sua propagação. Sua saúde e a de sua comunidade são prioridades.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você