Teresina, 28 de novembro de 2023
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
PUBLICIDADE

Por manipulação de resultados no futebol jogadores do Vila Nova são punidos pelo STJD

O STJD anunciou o banimento do meia Romário e a suspensão do volante Gabriel Domingos, ambos do Vila Nova, por participação em um esquema de manipulação de resultados de partidas de futebol. As punições foram motivadas pela tentativa de cooptação de atletas para cometer pênaltis em um jogo contra o Sport.
jogadores são punidos pelo STJD por envolvimento em manipulação de jogos.
Romário, ex-Vila Nova Banimento e multa. Foto: Vila Nova FC

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anunciou na segunda-feira (29) o banimento do meia Marcos Vinicius Alves Barreira, conhecido como Romário, do futebol, além de uma multa de R$ 25 mil. O ex-jogador do Vila Nova foi punido por participar de um esquema de manipulação de resultados de partidas de futebol.

Junto a Romário, o volante Gabriel Domingos também foi punido pelo STJD, recebendo uma suspensão de 720 dias e uma multa de R$ 15 mil. As decisões foram tomadas de forma unânime pelo tribunal, mas como o julgamento foi em primeira instância, ainda há a possibilidade de recurso.

O jogo manipulado: Vila Nova x Sport

As punições foram motivadas pela participação dos dois jogadores em um esquema de manipulação de resultados no jogo entre Vila Nova e Sport, pela edição 2022 da Série B do Campeonato Brasileiro, disputado em 6 de novembro.

Segundo as denúncias, Romário, que à época atuava pelo Vila Nova, tentou cooptar atletas para cometer pênaltis na partida em questão. Gabriel, também defendendo a equipe goiana na oportunidade, acabou envolvido no caso ao afirmar, em troca de mensagens com apostadores, que aceitaria a proposta, embora isso não tenha se concretizado.

A Operação Penalidade Máxima

As denúncias são resultado de uma operação do Ministério Público de Goiás (MP-GO) chamada de Penalidade Máxima. A investigação surgiu em fevereiro, a partir de uma denúncia feita pelo presidente do Vila Nova, Hugo Jorge Bravo.

Bravo revelou que Romário aceitou R$ 150 mil para cometer um pênalti na primeira etapa do jogo contra o Sport. Em abril, o MP-GO ampliou o escopo das investigações, passando a apurar possíveis eventos irregulares em partidas da Série A e de campeonatos estaduais.

O impacto no futebol brasileiro

Este caso de manipulação de resultados lança uma sombra sobre a integridade do futebol brasileiro, levantando questões sobre a prevalência de tais práticas e a necessidade de medidas mais rigorosas para prevenir e punir esses comportamentos. Enquanto os jogadores enfrentam as consequências de suas ações, o esporte como um todo deve se confrontar com a necessidade de garantir a justiça e a transparência em todos os níveis de competição.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você