Teresina, 18 de maio de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Wellington Dias luta para manter sua posição no Ministério do Desenvolvimento Social

Em meio a um clima de crescente pressão política, o Ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, intensifica esforços para preservar seu cargo. Enquanto o bloco do Centrão, liderado por Ciro Nogueira, tem como alvo o ministério devido à sua posição estratégica e amplo orçamento, Dias busca reforçar suas credenciais através de encontros com parlamentares, prefeitos e até mesmo com o Presidente Lula, contando também com o apoio da primeira-dama, Janja da Silva.
Wellington Dias e Ciro Nogueira estão em rota de colisão pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.
Ciro e Wellington: adversários na política local e nacional.

Diante do crescente interesse do Centrão sobre o Ministério do Desenvolvimento Social, o atual ministro Wellington Dias(PT) tem intensificado suas ações para preservar seu cargo. O ex-governador do Piauí tem recebido mais parlamentares e prefeitos e buscado encontros com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O reforço de sua posição conta com o apoio da primeira-dama Rosângela da Silva, conhecida como Janja.

O Desenvolvimento Social, responsável pelo Bolsa Família, uma das marcas mais reconhecíveis das gestões do Partido dos Trabalhadores (PT), tornou-se um alvo atraente para o Centrão devido ao seu orçamento substancial de R$ 273 bilhões e capilaridade, atendendo a mais de 20 milhões de famílias.

Saída de Wellington Dias fortalece Ciro Nogueira

No entanto, a permanência de Wellington Dias no ministério está sob intensa disputa. Ciro Nogueira, senador e ex-ministro do governo Jair Bolsonaro, emerge como um dos principais adversários do atual ministro. Ambos, que já foram aliados no Piauí, agora enfrentam um abismo político intransponível. Nogueira tem usado a crítica constante ao PT e ao governo Lula como uma estratégia para consolidar sua posição como um político de direita. A possível saída de Dias seria uma demonstração de poder e prestígio por parte de Nogueira no Planalto, sobretudo no estado do Piauí, onde ambos têm sua base eleitoral.

Informações de fontes nacionais e da imprensa revelam a possibilidade real de uma mudança no comando do Ministério do Desenvolvimento Social. Entre os possíveis sucessores de Dias está o deputado André Fufuca, um aliado próximo de Nogueira e ex-vice líder do governo Bolsonaro.

Para se proteger, Dias tem intensificado seu contato com o mundo político, participando ativamente de frentes parlamentares e liderando iniciativas para estimular empresas a contratar beneficiários do Bolsa Família. Além disso, apresentou a Lula dados positivos do Bolsa Família e teve a oportunidade de demonstrar seu trabalho ao presidente em diversas ocasiões. O reforço da primeira-dama ao ministro, que considera o ministério o “coração do governo”, é outro fator que pode pesar na decisão final do presidente.

Em meio às possível entrada do Centrão no governo Lula, o senador Ciro Nogueira publicou um artigo com um discurso mais moderado de oposição, no qual prega uma “oposição responsável”.

Com a intensificação das tensões, o cenário político nos próximos meses será crucial para determinar o futuro do Ministério do Desenvolvimento Social e o equilíbrio de poder dentro do governo Lula.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você