Teresina, 12 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Acordo entre Mercosul e União Europeia deve cobrir 31% das exportações mundiais de bens, destaca CNI

Mercosul
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O acordo entre Mercosul e União Europeia promete integrar um mercado de aproximadamente 800 milhões de habitantes e impulsionar um comércio bilateral de bens e serviços que ultrapassa os US$ 100 bilhões. Esses dados foram revelados pelo próprio acordo e destacam a relevância dessa parceria, que reunirá cerca de 25% do PIB mundial.

Em apoio a esse acordo, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Confederação das Empresas Europeias (BusinessEurope) emitiram uma declaração conjunta durante a visita da presidente da Comissão da União Europeia, Ursula von der Leyen, a Brasília nesta segunda-feira (12).

A CNI ressalta que, ao promover o livre comércio entre os países do Mercosul e da União Europeia, quase um quarto da economia global e 31% das exportações mundiais de bens seriam cobertos por essa parceria. No entanto, o acordo também estabelece exigências relacionadas à preservação do meio ambiente brasileiro, ao desenvolvimento sustentável e à proteção dos direitos humanos como condições para que os países participantes usufruam dos benefícios econômicos dessa relação.

A CNI expressou confiança nos compromissos acordados em 2019, afirmando que eles permitirão que ambas as partes promovam fluxos bilaterais de comércio e investimentos, diversifiquem suas cadeias de suprimentos e sustentem empregos de qualidade, ao mesmo tempo em que garantem a proteção do meio ambiente e atendem aos mais altos padrões de desenvolvimento sustentável.

O acordo entre o Mercosul e a União Europeia é considerado uma oportunidade significativa para o Brasil, tanto para impulsionar a competitividade da indústria nacional quanto para ampliar a pauta de exportações. Welber Barral, ex-secretário de Comércio Exterior e presidente do Instituto Brasileiro de Comércio Internacional e Investimentos, destaca que o acordo traria investimentos e fortaleceria a indústria brasileira, já que a União Europeia é um mercado exigente em termos de requisitos técnicos e sanitários.

Dados da CNI revelam que, em 2022, o comércio bilateral entre o Brasil e a União Europeia alcançou um patamar recorde de quase €90,5 bilhões. Além disso, o Brasil recebeu cerca de €277 bilhões em investimentos e investiu mais de €132 bilhões no bloco europeu.

O governo federal tem expectativas de fechar o acordo entre o Mercosul e a União Europeia em 2023. O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, destaca o empenho do governo brasileiro em alcançar um acordo equilibrado e ressalta a importância das negociações para fortalecer os laços comerciais entre as duas regiões.

Com a perspectiva de uma conclusão bem-sucedida, a parceria entre o Mercosul e a União Europeia promete trazer inúmeras oportunidades para o Brasil, fortalecendo a economia e estimulando o crescimento sustentável em ambas as regiões.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você