Teresina, 19 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Governo repagina programa para carros populares e foca em transporte coletivo e de cargas

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou nesta segunda-feira (5/6) a repaginação do programa para carros populares. O foco agora é é transporte coletivo e de cargos.
Ministro da Fazenza, Fernado Haddad. Foto: Valter Campanato/AB

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou nesta segunda-feira (5/6) a repaginação do programa para carros populares, que agora terá um enfoque voltado para o transporte coletivo e de cargas. Embora sem fornecer detalhes específicos, o ministro afirmou que os carros populares ainda estarão contemplados na iniciativa.

O objetivo principal da iniciativa é baratear o preço dos carros populares, reduzindo a carga tributária das indústrias automotivas. A estimativa é de que o preço dos veículos populares, que atualmente gira em torno de R$ 70 mil, possa ser reduzido para cerca de R$ 60 mil, representando uma diminuição de até 10,96%. O programa será temporário e busca impulsionar a renovação das frotas de caminhões e ônibus, além de incentivar o transporte coletivo.

A medida, que representa uma renúncia fiscal, precisa ser acompanhada de compensações. Uma das possibilidades mencionadas é a regulamentação das apostas esportivas on-line, que poderia ajudar a equilibrar as perdas decorrentes do barateamento dos carros.

O programa está em fase de finalização, com a Fazenda tendo o prazo de 15 dias para fechar os detalhes e apresentar ao presidente da República. Estima-se que o pacote de medidas terá um custo total de cerca de R$ 1,5 bilhão, sendo que a maior parte dos recursos será destinada ao incentivo para caminhões, seguida pelos carros populares e ônibus.

Diferentemente de isenções fiscais, o pacote prevê descontos diretos no preço dos veículos, concedidos pelas montadoras. Em troca, as empresas receberão crédito tributário para abater impostos devidos à União. Os descontos para carros devem variar entre R$ 2 mil e R$ 8 mil, dependendo de critérios como eficiência energética, preço e conteúdo nacional. Já para caminhões, os descontos podem variar de R$ 30 mil a cerca de R$ 100 mil, com a condição de que um caminhão antigo, com mais de 20 anos de uso, seja descartado.

Além do programa voltado para veículos, o ministro Haddad também discutirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva o Desenrola, programa de renegociação de dívidas que ainda está em fase de desenvolvimento. O programa, que visa ajudar os milhões de brasileiros inadimplentes, tem enfrentado desafios relacionados ao desenvolvimento do software de conexão entre credores e devedores, incluindo questões relacionadas à Lei Geral de Proteção de Dados.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você