Teresina, 23 de maio de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

‘Ouvindo vozes’ e com depressão, Roberto Jefferson é autorizado por Moraes a realizar tratamento em hospital particular

Após episódios de confusão mental e recusa em se alimentar, ex-deputado Roberto Jefferson é transferido para o Hospital Samaritano Botafogo sob autorização do STF.
Estado de saúde de Roberto Jefferson pioria, médicos relatam que ex-deputado está "ouvindo vozes". Ministro Alexandre de Moraes autoriza tratamento em hospital particular.
Estado de saúde de Roberto Jefferson piora: com depressão ex-deputado já emagreceu 16kg. Foto: Valter Campanato

As notícias sobre sua deterioração da saúde Roberto Jefferson ganharam repercussão após o ex-deputado sofrer uma queda na sua cela. Segundo informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap), Jefferson foi transferido neste domingo (4) do Hospital Hamilton Agostinho, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, para o Hospital Samaritano Botafogo, um hospital particular. A mudança foi solicitada pela defesa de Roberto Jefferson ao STF.

‘Agravamento irreversível do seu estado de Saúde’

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), foi o responsável por autorizar a transferência, mantendo a prisão preventiva de Jefferson, a qual ele considera “necessária e imprescindível à garantia da ordem pública e à instrução criminal”. O ministro reconheceu a piora significativa na saúde do ex-deputado, que está sob custódia desde outubro de 2022. Entretanto, Moraes também reconheceu a necessidade de Jefferson receber tratamento médico adequado em um ambiente distinto, devido ao risco de “agravamento irreversível do seu estado de saúde”.

Quadro clínico de Roberto Jefferson

Recentemente, Jefferson desmaiou e demonstrou sinais de desorientação. Inicialmente, ele foi levado ao Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho (Seap-HA) em 30 de maio, em decorrência de piora do estado geral, quadro apontado pelos médicos Vicente Eduardo Amado de Sousa e Itauan Vieira Espínola.

No mesmo dia, ele foi encaminhado e atendido no Hospital Penal Roberto Medeiros, onde uma avaliação psiquiátrica diagnosticou um quadro de depressão.

Após retornar à sua cela, Jefferson foi reencaminhado ao hospital após uma queda e o episódio subsequente de desorientação.

Ouvindo vozes

No relatório médico recente, os médicos da Seap, Vicente Eduardo Amado de Sousa e Itauan Vieira Espínola, descreveram o estado de Jefferson como de “confusão mental”. Eles relataram que o ex-deputado tem ouvido “vozes com mensagens inconsistentes com a realidade”, sintoma conhecido como alucinação auditiva. Jefferson também foi descrito como estando em “estado geral ruim”, “acianótico”, “eupneico”, “anictérico”, “hipocorado”, “desidratado” e se recusando a se alimentar. Além disso, ele apresenta um hematoma na região frontal esquerda, possivelmente decorrente da queda.

Exame descarta traumatismo craiano

Roberto Jefferson realizou uma tomografia no Hospital Municipal Pedro II, após o desmaio e a queda na sela. Havia a preocupação dos médicos, apontada no laudo médico da Secretaria de Adminsitração Penitenciária do Rio, de que o ex-deputado podia ter sofrido um traumatismo craniano. Os exames descataram essa possibilidade.

Além da tomagrafia, foram recomendados exames adicionais para rastrear o possível retorno de neoplasias.

Medidas cautelares

A despeito da autorização para transferência hospitalar, Moraes estabeleceu medidas cautelares rigorosas. Estas incluem a proibição de Jefferson receber visitas sem autorização judicial, com exceção de sua esposa e advogados, além da proibição do uso de dispositivos eletrônicos como celulares e tablets, de acessar redes sociais e de conceder entrevistas. O ministro destacou que a adoção dessas medidas é crucial para manter a ordem e a integridade do processo legal.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você