Teresina, 23 de maio de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Lula sinaliza para aliados que Cristiano Zanin é o escolhido para o STF

Lula deve indicar hoje, 1 de junho, o advogado Cristiano Zanin para o STF
Cristiano Zanin vai ser indicado por Lula para o STF.

Numa manobra de articulação política que deixa seu selo na composição do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Lula (PT) indicou o advogado Cristiano Zanin para ocupar a vaga aberta na Corte. O anúncio, que ocorreu numa reunião não oficializada na noite de quarta-feira (31) no Palácio do Planalto, foi posteriormente confirmado em uma comunicação ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e ao presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (União Brasil-AP).

Está prevista para esta quinta-feira (1º) uma nova reunião entre o presidente Lula e Alcolumbre no Palácio do Planalto. Senadores da base do governo já sinalizaram que a sabatina de Zanin poderá ser agendada para a próxima semana.

O encontro reservado entre Lula e Zanin veio ao encontro das expectativas geradas após um almoço que o presidente teve com o ministro Alexandre de Moraes e um churrasco no Palácio da Alvorada na última sexta-feira (26), ocasiões em que a possível indicação de Zanin foi discutida.

A escolha de Zanin é estratégica, buscando evitar um possível empate em julgamentos de grande impacto no STF, como o do marco temporal, que será retomado no dia 7 de junho.

Zanin surge como indicado para preencher o vácuo deixado pelo ministro Ricardo Lewandowski, cuja aposentadoria reduziu o quadro de juízes do Supremo a 10 desde o início de abril. Líderes do Senado já transmitiram ao presidente a expectativa de que a nomeação de Zanin será aprovada sem grandes contratempos.

Após a indicação, Zanin enfrentará a sabatina da CCJ do Senado, seguida pela aprovação no plenário da Casa. Alcolumbre sinalizou que não pretende repetir o ocorrido com Jair Bolsonaro (PL), quando a sabatina do ministro André Mendonça foi postergada na CCJ por cinco meses.

Conhecido por defender Lula na Operação Lava Jato, Zanin fortaleceu os laços com o presidente durante o período em que este estava preso, consolidando sua confiança tanto a nível técnico quanto profissional. Além disso, mantém uma conexão familiar com Lula, pois é casado com Valeska Zanin, afilhada do presidente, com quem mantém uma longa relação.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você