Teresina, 12 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Morre Armando Guedes Coelho, ex-presidente da Petrobras

Armando Guedes Coelho, ex-presidente da Petrobras e líder no setor de energia, faleceu. Sua carreira distinta e contribuições para o setor serão lembradas. Saiba mais sobre sua trajetória, presidência da Petrobras e atuação na iniciativa privada.
Morre Armando Guedes Coelho, ex-presidente da Petrobras
Armando Guedes Coelho, ex-presidente da Petrobras, morre no Rio

Armando Guedes Coelho, ex-presidente da Petrobras e ex-presidente do Conselho Empresarial de Energia da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), faleceu neste sábado (27). A causa da morte não foi divulgada. O velório e a cremação estão programados para este domingo (28) no Cemitério do Caju.

Nascido em Goiás, Armando formou-se em engenharia química e química industrial na Escola Nacional de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em 1964, iniciou sua carreira na Petrobras através de concurso público, onde exerceu diversas atividades.

Presidência da Petrobras e Carreira na Iniciativa Privada

Em 1985, presidiu a Petrobras Comercio Internacional S.A (Interbras) e, no ano seguinte, a Petrobras Distribuidora (BR). Em 1987, no governo José Sarney, assumiu a presidência da Petrobras, sendo o primeiro funcionário de carreira a ocupar o posto.

Após deixar a Petrobras, Armando iniciou uma carreira na iniciativa privada, presidindo a Fábrica Carioca de Catalisadores e posteriormente assumindo a direção da divisão de petroquímica da Companhia Suzano de Papel e Celulose.

Contribuições para a Firjan

Na Firjan, Armando presidiu o Conselho Empresarial de Energia e foi presidente do Conselho Empresarial de Petróleo e Gás. Ele também foi eleito Conselheiro Emérito da federação e, em 2012, recebeu a medalha de Mérito Industrial da Firjan.

Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan, lembrou a contribuição de Armando para o país. “Armando prestou inestimáveis serviços a esse país. Era um negociador de habilidade e criatividade admiráveis. Se o Brasil evitou um racionamento de combustível na década de 70 deve muito a ele e sua atuação como funcionário de carreira da Petrobras”, disse.

A Firjan lamentou a perda e expressou solidariedade aos familiares e amigos de Armando. A morte de Armando Guedes Coelho é uma grande perda para o setor de energia do Brasil, e ele será lembrado por sua contribuição significativa para a indústria.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você