Teresina, 19 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Marinha dos EUA divulga vídeo e denuncia “interação insegura” com navio de guerra chinês no Estreito de Taiwan

Incidente no Estreito de Taiwan gera tensões entre Marinha dos EUA e China, enquanto navio de guerra chinês é acusado de realizar "interação insegura" com contratorpedeiro americano
Marinha dos EUA divulga vídeo que mostra a aproximação do navio de guerra chinês no Estreito de Taiwan
Aproximação do navio de guerra chinês no estreito de Taiwan. Foto: Marinha. EUA

A Marinha dos Estados Unidos divulgou um vídeo que mostra o que eles descrevem como uma “interação insegura” no Estreito de Taiwan, envolvendo um navio de guerra chinês que cruzou perigosamente na frente de um contratorpedeiro americano. O incidente ocorreu durante um trânsito considerado “rotineiro” no estreito, uma hidrovia sensível que separa Taiwan, governada democraticamente, da China.

De acordo com as informações divulgadas pelos militares dos EUA, o USS Chung-Hoon, um contratorpedeiro, e a fragata HSMC Montreal, do Canadá, estavam conduzindo o trânsito quando o navio chinês cortou na frente do navio americano, chegando a uma distância perigosa de cerca de 137 metros.

Um vídeo divulgado pela Marinha dos EUA mostra claramente o navio de guerra chinês navegando diretamente na rota do Chung-Hoon, mesmo em águas calmas. O navio americano não altera seu curso durante a interação. Em um áudio do vídeo, é possível ouvir uma voz em inglês transmitindo uma mensagem de rádio ao navio chinês, alertando contra “tentativas de limitar a liberdade de navegação”, embora o texto exato seja difícil de ser compreendido devido ao ruído do vento.

Aproximação do navio de guerra chinês com o contratorpedeiro americano

Até o momento, a China não se pronunciou diretamente sobre as críticas feitas pelos Estados Unidos em relação ao incidente. O Ministério das Relações Exteriores chinês não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. No entanto, no sábado, os militares chineses repreenderam os Estados Unidos e o Canadá por “provocar riscos deliberadamente” com a rara navegação conjunta no Estreito de Taiwan.

O Ministério da Defesa de Taiwan classificou as ações da China como uma “provocação” e ressaltou que é responsabilidade comum dos países livres e democráticos manter a paz e a estabilidade no estreito. Em um comunicado, o ministério pediu à China que respeite o direito à liberdade de navegação.

É importante destacar que a China considera Taiwan como seu próprio território, uma afirmação rejeitada veementemente pelo governo de Taipei. Pequim tem intensificado a pressão militar e política sobre Taiwan, buscando forçar a ilha a aceitar sua soberania. Isso inclui a realização de manobras regulares próximas à ilha, como relatado anteriormente pelos Estados Unidos, em que um caça chinês realizou uma manobra “desnecessariamente agressiva” perto de uma aeronave militar americana no Mar do Sul da China, em espaço aéreo internacional.

A Marinha dos Estados Unidos está monitorando de perto essas interações e reiterou seu compromisso em garantir a liberdade de navegação na região.

O incidente no Estreito de Taiwan destaca as tensões em curso entre os Estados Unidos e a China, bem como a importância estratégica e sensibilidade da região.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você