Teresina, 12 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

STF anula condenação de Eduardo Cunha na Lava Jato

Em uma reviravolta surpreendente, a Segunda Turma do STF anulou a condenação do ex-deputado Eduardo Cunha no âmbito da Operação Lava Jato. A maioria dos ministros entendeu que a 13ª Vara Federal em Curitiba não tinha competência para julgar o caso. A anulação pode ter implicações significativas para outros processos da Lava Jato. Saiba mais sobre a decisão e as possíveis repercussões.
STF anula condenação do ex-deputado Eduardo Cunha na Lava Jato
Eduardo Cunha: livre, sem condenação por decisão do STF.

Em uma reviravolta significativa, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou a condenação do ex-deputado Eduardo Cunha, que havia sido sentenciado a quase 16 anos de prisão no âmbito da Operação Lava Jato. A decisão foi tomada por 3 votos a 2, com o entendimento de que a 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pela sentença, não era competente para julgar o caso.

A condenação e a anulação

Cunha foi condenado em setembro de 2020 a 15 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em um processo relacionado a supostos pagamentos de propina em contratos de construção de navios-sonda da Petrobras pelo estaleiro Samsung Heavy Industries. A sentença foi assinada pelo juiz federal Luiz Antonio Bonat, que sucedeu Sergio Moro na 13ª Vara Federal de Curitiba.

No entanto, a maioria dos membros da 2ª Turma do STF entendeu que a Justiça Federal não tinha competência para processar o caso, determinando que a ação seja remetida à Justiça Eleitoral do Paraná. O entendimento vencedor foi exposto pelo ministro Nunes Marques, que foi seguido pelos ministros André Mendonça e Gilmar Mendes. O relator, ministro Edson Fachin, e o ministro Ricardo Lewandowski (aposentado) ficaram vencidos.

Implicações da decisão

A anulação da condenação pode ter implicações significativas para outros casos da Lava Jato. Segundo a jurisprudência do STF, cabe à Justiça Eleitoral julgar casos que envolvem caixa dois.

A defesa de Cunha

A defesa de Eduardo Cunha afirmou que “a decisão do Supremo fez justiça e confirma aquilo que a defesa sustenta desde o início do processo e que, agora, está ficando claro para todo o país: Eduardo Cunha, assim como outros inúmeros réus, foi vítima de um processo de perseguição abusivo, parcial e ilegal e julgado por uma instância manifestamente incompetente”.

O futuro do caso

O novo juiz do caso deverá analisar se ratifica os atos judiciais praticados anteriormente. A decisão do colegiado foi tomada em sessão virtual que se encerrou em 26 de maio.

Esta reportagem foi baseada em informações da CNN Brasil e do Portal Metrópoles.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você