Teresina, 19 de abril de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Médico Eduardo Melo é encontrado morto em Teresina

Morte ocorreu um dia após a divulgação de que o médico foi indiciado por homicídio culposo pela morte de uma criança após procedimento cirúrgico.
Médico Eduardo Guimarães Melo é encontrado morto em Teresina
Eduardo Melo, médico é encontrado morto em Teresina

O médico Eduardo Melo foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (29) no bairro Ilhotas, próximo ao edifício onde residia, na zona Central de Teresina. A Polícia está no local e investiga o caso, mas ainda não há informações preliminares.

A morte do cirurgião ocorreu um dia após ter se tornado público que Eduardo Guimarães Melo foi indiciado por homicídio culposo de uma criança de 6 anos ocorrida após um procedimento ciúrgico no Hospital Unimed realizado pelo médico no dia 16 de fevereiro. O inquérito era conduzido pelo delegado José Anchieta Pontes dos Santos, do 2º Distrito Policial e foi instaurado a partir de representação criminal feita pela mãe da criança.

Eduardo era filho do também médico, o pediatra Messias Melo, um dos profissionais mais renomados de sua geração, que faleceu em 2021, aos 82 anos.

O cirurgião era casado e pai de dois filhos.

Entenda o caso

O cirurgião pediátrico Eduardo Guimarães Melo foi indiciado pelo crime de homicídio culposo pela morte de uma criança de 6 anos durante um procedimento cirúrgico no Hospital Unimed em Teresina, Piauí. O caso ocorreu em 16 de fevereiro de 2023 e o inquérito foi concluído em 23 de junho.

A criança, que sofria de insuficiência renal, foi internada para tratamento de uma infecção e troca de cateter. No dia 16 de fevereiro, ela passou por um procedimento cirúrgico para a introdução de um cateter para tratamento de hemodiálise. Após a cirurgia, a menina começou a se queixar de dores e foi levada novamente ao centro cirúrgico. Foi informado à mãe que uma artéria havia sido rompida durante o procedimento e que o médico Eduardo Guimarães já estava prestando o devido atendimento. No entanto, a criança faleceu posteriormente.

Depoimentos de outros médicos que auxiliaram no atendimento indicaram que houve uma complicação durante a implantação do cateter, com punção na artéria. O médico Eduardo Guimarães Melo admitiu a complicação, mas acreditava que a situação estava estável após ter detectado o problema e retirado o cateter, colocando-o na veia.

O inquérito concluiu que o médico supostamente não utilizou corretamente a técnica adequada para o tratamento com o instrumento de perfuração durante a aplicação do cateter, resultando em complicações e na morte da criança. Além disso, foi ressaltado que ele não estava presente durante a recuperação da paciente, quando poderia diagnosticar a necessidade de intervenção cirúrgica ou outro procedimento para controlar as complicações.

A mãe da criança afirmou que, apesar da enfermidade renal, sua filha estava com um quadro de saúde estável e equilibrado. Ela mencionou que a criança iria entrar na lista de transplante devido à sua boa condição clínica e que a causa da morte foi o rompimento da artéria durante o procedimento de introdução do cateter.

A informação sobre o indiciamento foi divulgada na noite desta quarta-feira(28) pelo Portal GP1.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você