Teresina, 22 de julho de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

A decisão de retomar a compra de energia da Venezuela

O Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou que o governo brasileiro decidiu retomar a compra de energia da Venezuela para abastecer o estado de Roraima. A decisão busca fortalecer a integração energética da América do Sul, mas exigirá estudos de viabilidade técnica e econômica.
Alexandre Silveira, ministro das Minas e Energia, anunciou que o governo tomou a "decisão política" de retomar a compra de energia da Venezuela.
Ministro das Minas e Energia. Foto: Marcelo Camargo

Em uma recente declaração, o Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, confirmou que o governo brasileiro tomou a decisão política de retomar a compra de energia da Venezuela para abastecer Roraima. Roraima é o único estado brasileiro que não está conectado ao Sistema Interligado Nacional (SIN). No entanto, Silveira ressaltou que será necessário realizar um estudo de viabilidade técnica e econômica antes de prosseguir com a decisão.

A decisão política

“A definição política está tomada. O que estou dizendo é que a partir de uma definição política, todos nós sabemos, racionalmente, que existem passos técnicos e econômicos a serem tomados”, afirmou o ministro a jornalistas no Palácio do Planalto, conforme reportado pelo Jornal O Globo.

Cooperação energética

Silveira defendeu uma maior cooperação energética entre o Brasil e os países da América do Sul. Ele argumentou que essa cooperação já existe no caso do gás com a Bolívia e questionou por que não poderia existir com as grandes potencialidades energéticas, seja de gás, petróleo e energia elétrica com Argentina, Venezuela e com outros países vizinhos, desde que haja viabilidade econômica e técnica.

Planejamento para Roraima

O ministro destacou que a volta da importação de energia da Venezuela não interrompe o planejamento para interligar Roraima ao sistema nacional. “O planejamento segue firme, no sentido de que Roraima possa estar interligada como o último estado da federação não interligado ao Sistema Integrado Nacional”, disse o ministro.

Integração energética da América do Sul

Silveira vê a decisão como um passo para fortalecer a necessidade de integração da América do Sul do ponto de vista energético. Ele lembrou que em 2021 o Brasil contratou a um custo de quase R$ 40 bilhões e a “toque de caixa” energia térmica a gás para suprir a possibilidade de uma crise hídrica. Para ele, isso não faz sentido para o consumidor, se outros países podem colaborar com o fornecimento de energia.

“Isso não faz sentido para o consumidor, partindo-se do pressuposto que nós temos países vizinhos que possam fazer uma interligação socio-econômico e vantajosa para ambos”, concluiu o ministro.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM

Eleição não é matemática

Eleição é uma manifestação da alma humana, e essa alma, rica em sentimentos e emoções, nunca pode ser completamente capturada por números.

ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você