Teresina, 16 de julho de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Assassinato na zona Norte de Teresina

Júlio César de Sousa Cardoso, de 36 anos, foi brutalmente assassinado a tiros em sua própria casa no conjunto Leonel Brizola, região da Santa Maria da Codipi, na Zona Norte de Teresina.
Júlio César de Sousa Cardoso, de 36 anos, foi brutalmente assassinado a tiros em sua própria casa no conjunto Leonel Brizola, região da Santa Maria da Codipi, na Zona Norte de Teresina.
Instituto Médico Legal - IML

Na noite de terça-feira (23), um homem chamado Júlio César de Sousa Cardoso, de 36 anos, foi brutalmente assassinado a tiros em sua própria casa no conjunto Leonel Brizola, região da Santa Maria da Codipi, na Zona Norte de Teresina. Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu pouco antes das 23h. A Polícia Técnico-Científica identificou que ele foi atingido com quatro tiros na cabeça, de calibre 38.

Investigação em andamento

O local do crime foi isolado pela Polícia Militar e o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) iniciou a investigação sobre o caso. Ainda não há informações sobre possíveis suspeitos ou a motivação do crime.

Pobreza e violência no Piauí

Este incidente ocorre em um contexto de desigualdade e violência no estado do Piauí. Apesar de uma melhora nacional na taxa de pobreza em 2022, o Piauí continua sendo um dos estados com mais de 50% da população em situação de pobreza, segundo o Instituto Jones dos Santos Neves. A violência, muitas vezes, é um subproduto dessa desigualdade socioeconômica.

De acordo com o Numbeo, o Brasil tem uma das maiores taxas de criminalidade do mundo, e o Piauí não é exceção. A violência e a criminalidade são problemas persistentes que afetam a qualidade de vida dos residentes e agravam a situação da pobreza.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM

Eleição não é matemática

Eleição é uma manifestação da alma humana, e essa alma, rica em sentimentos e emoções, nunca pode ser completamente capturada por números.

ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você