Teresina, 23 de maio de 2024
Logotipo do grupo DO POVO de Comunicação
BroadCast DO POVO. Serviço de notícias para veículos de comunicação com disponibilzação de conteúdo.
Pesquisar
Close this search box.
PUBLICIDADE

Nova versão de ‘A Pequena Sereia’ busca modernização, mas falta ousadia e inovação

Chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (25) a tão esperada versão com atores de "A Pequena Sereia", uma das apostas da Disney para modernizar seus clássicos e atrair o público.
a pequena sereia

Chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (25) a tão esperada versão com atores de “A Pequena Sereia”, uma das apostas da Disney para modernizar seus clássicos e atrair o público. No entanto, o filme enfrenta desafios em justificar sua existência, uma vez que, apesar de algumas escolhas inspiradas, falha em apresentar uma abordagem ousada e inovadora.

Uma nova Ariel para uma nova geração

Halle Bailey, conhecida por sua atuação em “Grown-ish”, é a escolha inspirada para dar vida à protagonista Ariel. Sua presença traz frescor ao filme, assim como as atualizações realizadas em relação aos pontos mais antiquados da animação original lançada em 1989. No entanto, apesar desses acertos, a reprodução quase fiel dos momentos marcantes do filme original acaba resultando em uma falta de vontade de inovar, prejudicando o potencial do filme.

Um enredo familiar, com pequenas mudanças

A história central do filme permanece basicamente a mesma: uma sereia que se apaixona por um príncipe humano e busca a ajuda de uma bruxa para conquistá-lo. Nesta versão, interpretada por Jonah Hauer-King, há uma maior exploração da conexão entre os personagens, mostrando que ambos se sentem deslocados e inquietos. Além disso, a protagonista demonstra maior iniciativa na batalha contra a vilã, rompendo com a imagem de uma personagem que precisa ser salva.

O destaque de Halle Bailey

Halle Bailey entrega uma interpretação impecável das canções clássicas e traz um carisma profundo para a personagem de Ariel. Sua atuação é um dos principais motivos para assistir a esta versão, embora qualquer atriz de 23 anos enfrentaria o desafio de preencher os sapatos de uma personagem tão icônica. Jonah Hauer-King também se destaca como o príncipe Eric, trazendo uma química invejável com Bailey.

Desafios visuais e falta de inovação

Os efeitos visuais desta nova versão são impressionantes, apresentando uma realidade mágica no fundo do mar de forma convincente. No entanto, a adaptação de personagens animados para uma versão realista traz alguns desafios. Linguado e Sebastian, interpretados por Jacob Tremblay e Daveed Diggs, respectivamente, perdem um pouco do charme e fofura dos traços animados. Essa sensação de falta de algo a mais acompanha todo o filme, que parece não ousar além de uma modernização superficial.

Um capítulo que segue uma fórmula conhecida

“A Pequena Sereia” segue o padrão estabelecido por outras adaptações de clássicos animados realizadas pela Disney, como foi o caso de “Aladdin” em 2019. Embora modernize a história e traga algumas atualizações, não se arrisca além disso. Apesar de não ser um filme ruim, também não é algo que irá marcar uma geração como os desenhos originais costumavam fazer.

PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA TAMBÉM
ÚLTIMAS
PUBLICIDADE
CONTEÚDO RELACIONADO
PUBLICIDADE
VEJA +

Notícias

Institucional

Para você

Notícias

Institucional

Para você