Conecte-se conosco

Política

Sérgio Moro foi parcial ao julgar Lula, decide STF

Ex-presidente Lula está livre e com discurso pronto para eleições 2022

Publicado

em

A segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF), formada pelos ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Nunes Marques, Cármen Lúcia e Edson Fachin, decidiu, por 3 votos a 2, pela suspeição do ex-juiz Sérgio Moro no julgamento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva no processo do tripléx do Guarujá – um dos mais icônicos da Lava Jato.

Ministro Gilmar Mendes foi o primeiro a votar pela parcialidade de Sérgio Moro

Para os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia, Moro foi parcial ao condenar Lula no caso Trilpléx. Kássio Nunes Marques, que havia pedido vistas no último dia 09, votou pela imparcialidade do ex-juiz Sérgio Moro acompanhando o voto do colega de turma, ministro Edson Fachin.

A ministra Cármen Lícia, que em 2018 havia votado contra a supeição de Moro, mudou o voto, o que foi decisivo para a suspeição do ex-magistrado. Carmén acompanhou muitas das argumentações do ministro Gilmar Mendes, dentre elas a acusação de escpecularizações do julgamento a partir de conduções coercitivas.


“Não há salvação para juiz covarde”

Uma das frases mais contundentes do ministro gilmar mendes pronunciada após o voto de nunes marques

Cármen Lúcia: ministra mudou o voto de 2018 e decidiu pela supeição de Ségio Moro | Foto: Antonio Cruz | AB

Com a decisão, todo o processo referente ao tripléx do Guarujá será reiniciado. O ex-presidente Lula coleciona um arsenal de fatos recentes que corroboram com seu discurso de “Lula Livre”.

No último dia 08 de março, o ministro Edson Fachin anulou todas as condenações do ex-presidente no âmbito da operação Lava Jato em Curitiba, devolvendo ao petista os direitos políticos – e a possibilidade de concorrer nas eleições 2022.


“Algum dos senhores aqui compraria um carro do Moro? Algum dos senhores seria capaz de comprar um carro do Dallagnol? São pessoas de confiança?”

Gilmar mendes, ao criticar a condução de sérgio moro e dos procuradores da lava jato

Com a decisão de hoje da segunda turma do Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente Lula pavimenta seu caminha para ser o principal opositor de Jair Bolsonaro na eleição presidencial.


Lula livre do processo do tripléx e com o direito de ser candidato em 2022 com o discurso de perseguido por Moro

“Esperamos que o julgamento realizado hoje pela Suprema Corte sirva de guia para que todo e qualquer cidadão tenha direito a um julgamento justo, imparcial e independente, tal como é assegurado pela Constituição da República.”

defesa do ex-presidente lula, em nota oficial assinada pelos advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska T. Z. Martins

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *