Conecte-se conosco

Editorial

‘Fique em casa’ não pode ser apenas marketing

Editorial sobre a política do “Fique em Casa” e o exemplo real de secretários de Teresina

Publicado

em

Neste final de semana, mais uma polêmica alimenta o discurso daqueles que são contra as medidas restritivas adotadas pelo poder públicos para combater o avanço da Covid-19.

No mês onde o Brasil – e também o Piauí – assistiram uma explosão de casos e mortes pela doença, com a taxa de ocupação de leitos de UTI alcançado os 100%, dois secretários da Prefeitura de Teresina viajaram ao Litoral do estado apenas dois três dias depois da própria PMT publicar uma campanha onde, ao pedir para a população ficar em casa, dizia em suas redes sociais: “Para frear as circulação do coronavírus, o mais seguro é não viajar nesta Semana Santa”.

O ditado “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não poderia ter sido melhor aplicado do que nessa situação. O próprio coordenador de Comunicação, pasta responsável pela publicidade e a campanha, foi dos que fez as malas e passou o ferido ao lado da secretária de Políticas Públicas para Mulheres. Ambos apareciam numa foto na rede social de Karla Berger num resort em Luís Correia.

A população está no limite do tolerável. E há aqueles que se aproveitam do momento para intensificar a onda de polarização política que alimenta o eleitorado. Excessos à parte, muitos dos que reclamam de terem suas atividades fechadas por decretos estaduais não gostaram nada de ver os secretários curtirem o litoral num momento tão difícil.

Somente na última semana, 98 pessoas perderam a vida para a Covid-19 em Teresina.

A atitude dos secretários foi no mínimo insenvível e um contrasenso diante da comunicação da própria Prefeitura de Teresina que pedia a população para não viajarem na Semana Santa.

Um erro que se traduz num mau exemplo que vira combustível para muitos questionarem ainda mais as atitudes dos gestores neste período. São situações como essa que aumentam o sentimento de revolta, cada vez mais presente e que pode provocar o caos no Brasil.

A Semana Santa é a demonstração máxima do sacrifício pelo próximo. Os secretários foram incapazes de fazer o “sacrifício” de ficar em casa.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *