Conecte-se conosco

Política

PPP vai transformar Zoobotânico do Piauí em bioparque

Publicado

em

PPP vai transformar Zoobotânico do Piauí em bioparque

A Parceria Público Privada de concessão do Parque Estadual do Zoobotânico tem o objetivo de oferecer melhores condições de lazer, com conservação do bioma local e promoção do turismo da região, com a geração de renda e de empregos. Entre as melhorias, está a transformação dos recintos em abrigos no estilo de bioparque, a despoluição das lagoas e a construção de novos espaços como bicicletário, auditório, restaurantes e lanchonetes. O Zoobotânico do Piauí é o terceiro maior parque urbano do Brasil e o maior do nordeste, com uma área total de 127 hectares.

Segundo o projeto, os recintos para fauna e flora devem contar com estruturas mais amplas, simulando os habitats nativos. “No Bioparque, os animais têm maior liberdade e mais oportunidades de interações com o visitante. Basicamente é uma inversão da lógica de zoológicos tradicionais, onde os animais ficam presos em espaços mais restritos, enquanto no Bioparque, eles vivem em condições que replicam seus biomas nativos”, comenta Viviane Moura, superintendente do Programa de PPP Piauí.

A Proposta de Projeto fornecerá os potenciais de imersão, práticas e incentivos à Consciência Ambiental, à Educação e ao Entretenimento no Parque Zoobotânico. Todas as zonas de exibição serão também nichos de entretenimento educativo. A imersão poderá ser vivenciada em pequenos espaços expositivos, em áreas de pré-shows, salas de exposição e atrações interativas, além da observação dos recintos. A premissa essencial é que o entretenimento esteja sempre aliado ao conhecimento.

A concessionária será responsável pela readequação, modernização, operação e manutenção do Parque Estadual do Zoobotânico. O contrato terá prazo de 35 anos e a previsão de investimentos é de mais de R$ 42 milhões.

O projeto preliminar do Parque Zoobotânico prevê a utilização de cinco áreas para exploração, sendo distribuídas da seguinte forma: 46,2 hectares de preservação permanente; 32 hectares para os recintos dos animais, área de apoio e administração; 39 hectares para expansão e exploração da concessionária; 2,3 hectares para o estacionamento; e, por fim, oito hectares para a instalação do Setor Botânico Ambiental, com funcionamento de um Centro de Pesquisa e Educação Ambiental, que será operado em conjunto com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar).

A superintendente Viviane Moura enfatiza que não se trata de privatização do Zoobotânico. “Privatização é vender o bem ou imóvel estatal para a iniciativa privada e não é isso que estamos fazendo. A concessão é apenas a transferência, por um determinado período de tempo, da manutenção e operação do bem público para o parceiro privado, que tem de obedecer a regras para explorar o serviço e cumprir metas contratuais. Além disso, o Governo paga uma contraprestação mensal para a concessionária, e recebe de volta o bem público, com todas as melhorias feitas, ao final do contrato”, destaca.

O antigo zoológico da cidade do Rio de Janeiro também adotou um modelo de concessão e passou por reforma total e reformulação do conceito. Recentemente reaberto, o espaço agora é o BioParque do Rio, um novo centro de conservação destinado ao bem-estar dos animais, à educação ambiental e à pesquisa sobre as espécies. Com o novo conceito, foram abolidas as grades e as jaulas e ampliado o espaço dos bichos. No caso dos elefantes, por exemplo, o viveiro é dez vezes maior do que o original, com direito a piscina. Quase metade da área original do zoológico não é aberta à visitação do público e o espaço é aproveitado para pesquisas que ajudem a conservação das espécies.

The post PPP vai transformar Zoobotânico do Piauí em bioparque appeared first on Governo do Piauí.

=
Com Informação do Governo do Piauí

Política

Déficit atuarial na Previdência da Prefeitura de Teresina passa de R$ 4 bilhões, diz presidente do IPMT

Publicado

em

IPMT apresenta déficit financeira e atuarial

Teresina – O presidente do Instituto de Previdência Municipal de Teresina, Kennedy Glauber, informou nesta quinta-feira (3) que a déficit atuarial do IPMT é de R$ 4,5 bilhões. Kennedy não informou a partir de quando esse déficit afetaria os pagamentos de aposentadorias e pensões de servidores.

Kennedy Glauber, presidente do IPMT, informou existir déficit aturial na ordem de R$ 4,5 bilhões.
Kennedy Glauber: “temos uma dificuldade muito grande nesse início de gestão”

Segundo o gestor, o Instituto possui também uma dívida financeira de R$ 152 milhões, o que indica que o IPMT já não consegue arcar com o pagamento das obrigações previdenciárias.

“O IPMT hoje tem uma dívida financeira de 152 milhões de reais é deixada pela gestão anterior, então nós temos feito as tratativas necessárias para que a gente possa estar vendo a melhor forma de estar recuperando esse recurso. Nós temos hoje no IPMT um déficit atuarial de 4,5 bilhões de reais recebemos na semana passada o relatório do atuário e temos realmente uma dificuldade muito grande nesse início de gestão.”

Kennedy Glauber, presidente do ipmt

O déficit atuarial é a projeção de que vai faltar dinheiro para pagar aposentadorias e pensões dos servidores municipais no futuro. Segundo a legislação, as avaliações atuariais anuais devem ser realizadas até 31 de dezembro de cada exercício.

Veja também

Continue lendo

Nacional

Fábio Wajngarten: o homem que pode eximir Bolsonaro ou condená-lo na CPI

Publicado

em

Por

Fábio Wajngarten depõe na CPI da Covid nesta quarta-feira(11)
Fábio Wajngarten | Foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Sobre os ombros do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, advogado Fábio Wajngarten, pesa a responsabilidade de mudar os rumos da CPI da Covid no Senado Federal. Na primeira semana dos trabalhos da comissão, o governo Bolsonaro saiu derrotado em praticamente todos os depoimentos. Marcado para esta quarta-feira(12), o testemunho de Fábio Wajngarten pode […]
Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular