Conecte-se conosco

Política

CPI da Pandemia se reúne amanhã para apresentar plano de trabalho

Publicado

em

CPI da Pandemia se reúne amanhã para apresentar plano de trabalho

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia fará a segunda reunião amanhã (29), às 9h. No encontro, será discutido o plano de trabalho a ser adotado pela comissão. O plano de trabalho detalha a lista de pessoas que serão ouvidas pela comissão, bem como documentos que serão solicitados.

O relator da comissão, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), já pretende convocar o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e os três ministros que o antecederam no comando da pasta, Eduardo Pazuello, Nelson Teich e Luiz Henrique Mandetta. A direção do colegiado se reuniu hoje para definir o plano de trabalho que será apresentado amanhã. Participaram da reunião o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o relator.

“Estamos chamando o ministro da Saúde porque é necessário o depoimento dele. Todos que serão chamados na CPI serão chamados na condição de testemunha, neste primeiro instante, para contribuir com o caminho das investigações”, disse Randolfe, em conversa com jornalistas no fim da tarde de hoje (28).

Segundo Randolfe, os depoimentos devem começar já na próxima semana. “A nossa expectativa é iniciar os depoimentos na semana que vem. Temos acertados cinco depoimentos, vamos consolidar amanhã na reunião da comissão”.

Até a manhã de hoje, a comissão recebeu 173 requerimentos, sendo 58 deles para a convocação de testemunhas. Além do atual ministro da saúde e dos seus antecessores no governo Bolsonaro, existem requerimentos para convocação de outros três ministros do governo: Paulo Guedes (Economia), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), além do o ex-secretário especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten.

Essas convocações, no entanto, ainda não estão certas. Os requerimentos precisam ser aprovados na comissão. “Se for necessário chamar o ministro Paulo Guedes, vai depender da conveniência dos fatos a serem investigados”, disse o vice-presidente da CPI.

A CPI da Pandemia foi instalada ontem (27). Ao assumir oficialmente a presidência da comissão, Aziz se comprometeu em conduzir os trabalhos de forma técnica e buscar a verdade “seja contra quem for” sobre possíveis erros e omissões do Estado na tomada de decisões para combater a pandemia no país. “Não podemos proteger ninguém em nome de quase 400 mil óbitos”, ressaltou.

=
Com Informação da Agência Brasil

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Fábio Wajngarten: o homem que pode eximir Bolsonaro ou condená-lo na CPI

Publicado

em

Por

Fábio Wajngarten depõe na CPI da Covid nesta quarta-feira(11)
Fábio Wajngarten | Foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Sobre os ombros do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, advogado Fábio Wajngarten, pesa a responsabilidade de mudar os rumos da CPI da Covid no Senado Federal. Na primeira semana dos trabalhos da comissão, o governo Bolsonaro saiu derrotado em praticamente todos os depoimentos. Marcado para esta quarta-feira(12), o testemunho de Fábio Wajngarten pode […]
Continue lendo

Política

Wellington Dias trata sobre imunização em massa com Anvisa, governadores e senadores

Publicado

em

Por

Wellington Dias trata sobre imunização em massa com Anvisa, governadores e senadores
Reunião com Anvisa, governadores e senadores. Foto: Jorge Bastos

O presidente do Consórcio Nordeste e governador do Piauí, Wellington Dias, reuniu-se, virtualmente, nesta segunda-feira (10), com representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Comissão Temporária da Covid-19 e com governadores. Em pauta, as dificuldades enfrentadas pelos estados, o estágio da pandemia, o progresso do cronograma de vacinação e a compra de vacinas de maneira descentralizada por estados e municípios.

Wellington Dias pretende buscar junto ao Governo Federal a celeridade na imunização da população e manter o fomento da economia nacional. “Agradeço a abertura do diálogo com a Anvisa e faço um apelo para que possamos alcançar cerca de 100 milhões de doses de vacina para que o Brasil tenha condições de imunização em massa, pelo menos, até agosto deste ano, como vai ocorrer com os países mais desenvolvidos. Queremos garantir variadas vacinas e produção de IFA pelo Butantan, União Química e Fiocruz. Precisamos evitar uma terceira onda da Covid-19”, afirmou o governador.

Na reunião, alguns pontos destacados foram: a situação atual dos leitos de UTI e oxigênio medicinal; programa de testagem da população nos estados e municípios; compra e fabricação de vacinas; retorno das aulas presenciais; isolamento social e medidas restritivas.

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular