Conecte-se conosco

Política

Governo do Piauí aposta na autossuficiência energética com PPP de miniusinas de energia solar

Publicado

em

Governo do Piauí aposta na autossuficiência energética com PPP de miniusinas de energia solar

Segundo relatório da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgado no último mês, o Piauí é o estado que mais investiu no fornecimento de energia limpa e com responsabilidade ambiental no Brasil e a tendência é se manter neste patamar. Por meio de uma Parceria Público Privada (PPP), serão construídas oito miniusinas de energia solar com capacidade de produção de 5MW cada. As cidades que vão sediar as instalações são Caraúbas, Cabeceiras do Piauí, Curralinhos, Barras e Canto do Buriti. A previsão é que essas miniusinas entrem em funcionamento até o final de 2021.

“Serão quase 90 mil pessoas residentes nesses municípios que serão impactadas diretamente pela implantação das miniusinas. Os investimentos contribuirão para a economia regional, a partir da geração de empregos diretos e indiretos, tanto na fase de implementação, quanto na operação das atividades”, destaca a superintendente do Programa de PPP Piauí, Viviane Moura.

A miniusina solar fotovoltaica (também chamada de parque solar ou central fotovoltaica) é um sistema de energia do sol projetado para a produção de eletricidade em alta tensão para distribuição. Por possuir uma fonte de energia renovável, a produção das miniusinas ocorre sem queima de combustíveis fósseis – aqueles responsáveis pela emissão de gases de efeito estufa na atmosfera e agravamento do nível de poluição. Estima-se que, em 25 anos, a utilização da energia solar impedirá que mais de 100 toneladas de CO₂ sejam lançadas na atmosfera.

Um dos pontos inovadores das miniusinas no Piauí é que elas utilizarão a tecnologia de tracker. Esse equipamento corrige a angulação dos painéis diversas vezes durante o dia para acompanhar o movimento do sol, fazendo com que a produção de energia seja maximizada. Com isso, a produção de energia é cerca de 30% maior.

A PPP das miniusinas prevê mais de R$ 150 milhões em investimentos e uma redução mensal de 23% nos gastos do Estado com energia para abastecer os órgãos públicos, além de uma economia de mais de R$ 10 milhões por ano no custo com energia elétrica. Ao longo de 25 anos de contrato, essa concessão vai produzir energia para ser injetada na rede da concessionária Equatorial e será implantado um sistema para gerenciar e compensar a energia produzida e a consumida pelos órgãos da administração estadual, tornando-os autossuficientes no abastecimento.

Três empresas são responsáveis pela construção, operação, manutenção e gestão das miniusinas: Consórcio Energia Sustentável, composto por empresas de São Paulo e do Distrito Federal; a empresa goiana Brenge Par Engenharia e Participação; e o Consórcio Gm-Energia, composto por empresas de São Paulo e Pernambuco. As empresas concessionárias ainda deverão implantar, em conjunto com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), o Núcleo de Formação e Pesquisa em Energias Renováveis, um espaço de pesquisa, formação técnica e de transformação educacional.

Atualmente a energia solar é a melhor solução para evitar um colapso total na matriz energética. As usinas de energia solar são fáceis e rápidas de serem construídas e a necessidade de manutenção é mínima em comparação com outros tipos como hidrelétricas ou um parque eólico. “A implantação das miniusinas vai impulsionar mais ainda o Piauí como referência nacional em boas práticas ao meio ambiente e pioneiro no aproveitamento da energia proveniente do sol para atender prédios da administração pública”, comenta Viviane Moura.

Piauí sai na frente na produção de energia de forma sustentável

O Piauí é destaque na produção de energias renováveis, especialmente a energia solar e a energia eólica. Segundo a Aneel, o Piauí contabilizará este ano o maior percentual entre todos os estados analisados com uma expansão de 190,35 MW (megawatt) em sua matriz energética. Atrás do Piauí na produção de energia limpa ficam os estados da Bahia com 155 MW e Rio Grande do Norte com 151 MW.

Além disso, a maior usina fotovoltaica do Brasil e da América do Sul foi inaugurada no início de 2020 e está localizada na cidade de São Gonçalo do Gurguéia, no Piauí. Possui uma capacidade de geração de 608 MW, e a tecnologia de placas solares bifaciais que captam luz solar de ambos os lados.

The post Governo do Piauí aposta na autossuficiência energética com PPP de miniusinas de energia solar appeared first on Governo do Piauí.

=
Com Informação do Governo do Piauí

Política

Déficit atuarial na Previdência da Prefeitura de Teresina passa de R$ 4 bilhões, diz presidente do IPMT

Publicado

em

IPMT apresenta déficit financeira e atuarial

Teresina – O presidente do Instituto de Previdência Municipal de Teresina, Kennedy Glauber, informou nesta quinta-feira (3) que a déficit atuarial do IPMT é de R$ 4,5 bilhões. Kennedy não informou a partir de quando esse déficit afetaria os pagamentos de aposentadorias e pensões de servidores.

Kennedy Glauber, presidente do IPMT, informou existir déficit aturial na ordem de R$ 4,5 bilhões.
Kennedy Glauber: “temos uma dificuldade muito grande nesse início de gestão”

Segundo o gestor, o Instituto possui também uma dívida financeira de R$ 152 milhões, o que indica que o IPMT já não consegue arcar com o pagamento das obrigações previdenciárias.

“O IPMT hoje tem uma dívida financeira de 152 milhões de reais é deixada pela gestão anterior, então nós temos feito as tratativas necessárias para que a gente possa estar vendo a melhor forma de estar recuperando esse recurso. Nós temos hoje no IPMT um déficit atuarial de 4,5 bilhões de reais recebemos na semana passada o relatório do atuário e temos realmente uma dificuldade muito grande nesse início de gestão.”

Kennedy Glauber, presidente do ipmt

O déficit atuarial é a projeção de que vai faltar dinheiro para pagar aposentadorias e pensões dos servidores municipais no futuro. Segundo a legislação, as avaliações atuariais anuais devem ser realizadas até 31 de dezembro de cada exercício.

Veja também

Continue lendo

Nacional

Fábio Wajngarten: o homem que pode eximir Bolsonaro ou condená-lo na CPI

Publicado

em

Por

Fábio Wajngarten depõe na CPI da Covid nesta quarta-feira(11)
Fábio Wajngarten | Foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Sobre os ombros do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, advogado Fábio Wajngarten, pesa a responsabilidade de mudar os rumos da CPI da Covid no Senado Federal. Na primeira semana dos trabalhos da comissão, o governo Bolsonaro saiu derrotado em praticamente todos os depoimentos. Marcado para esta quarta-feira(12), o testemunho de Fábio Wajngarten pode […]
Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular