Conecte-se conosco

Política

Ciro Nogueira lança pré-candidatura nesta segunda-feira

Sem alternativas no partido, o senador esquenta a cadeira na base do “só tem tu, vai tu mesmo”

Publicado

em

ciro nogueira fortalece progressistas pra 2022

Ciro Nogueira (PP) lança sua pré-candidatura ao governo do estado na próxima segunda-feira(26). O senador começou a falar publicamente da possibilidade de se lançar candidato a governador em meados de 2019.

Ninguém levava a sério pelo simples fato de Ciro está no centro do poder em Brasília. Por que trocaria visitas ao Palácio do Planalto por uam cadeira Palácio de Karnak?

Desde que se aproximou de Bolsonaro, Ciro Nogueira adotou um tom de opositor ao governo Wellington Dias, com quem fez duas dobradinhas eleitorais nas eleições de 2014 e 2018. Ciro Nogueira foi reeleito senador ao lado do petista com um discurso de apoio ao ex-presidente Lula e aos petistas.

Por essas e outras, o nome tido como o real candidato era o de Firmino Filho. Mas o grupo saiu derrotado das eleições de 2020. Sem Teresina.

Apesar de não falar claramente, Ciro Nogueira chegou a declarar, cinco dias antes da tragédia ocorrida com o ex-prefeito de Teresina, no dia 1 de abril, que “Firmino é um nome fantástico para o senado”, disse à época. 

Nogueira dizia que estava à frente numa pesquisa para governador e que Firmino Filho liderava nas intenções de voto para o Senado, Não apresentou os percentuais e muito menos a pesquisa. 

Nos bastidores, o nome do ex-prefeito Firmino Filho, morto no último dia 6 de abril, vinha ganhando força com o desgaste inicial do atual prefeito de Teresina

Firmino representava a oposição aos novos integrantes do Palácio da Cidade, Unia vereadores nesse setindo – incluindo os do partido de Ciro Nogueira. 

Sem Firmino Filho, o Progressistas começou a sofrer uma pressão interna. Quinze dias após a morte de Firmino, eles já estavam conversando com o dr. Pessoa, além de outros vereadores que eram ligados ao ex-prefeito.

Sem espaço no Governo do Estado e sem a Prefeitura de Teresina, Ciro não tem muito o que oferecer a vereadores da capital e do interior. Mas a prefeitos sim. Mas é preciso entender como funciona uma eleição. 

Apesar da importância dos cargos majoritários de governador, vice-governador e senador, os presidentes dos partidos, primeiro, focam na viabilização das candidaturas proporcionais de deputados estaduais  e federais, esse últimos são os que garantem o fundo partidário – quanto mais deputados federais tem um partido, mais dinheiro na conta.

Ciro Nogueira é o presidente nacional do Progressistas. Antes de pensar em  sua candidatura a governador, sua prioridade é partido. Hoje, o PP tem a quarta maior, com 40 deputados, precisa ampliar. Sua candidatura vai desviar o foco desse objetivo. Se ficar no Piauí, perde a vez.

A chave da questão é: se a legislação não mudar, não tem coligação proporcional.  É importante para os candidatos a deputado estadual e federal terem partidos com candidatos a governador – pela estrutura e pelo voto de legenda, que pode ser decisivo por mais uma vaga. A pressão aumenta sobre Ciro Nogueira. 

Sem nenhum outro nome para a governador, Ciro corre o risco de eleger menos deputados no Piauí. Ao lançar sua pré-candidatura a governador, o senador Ciro Nogueira, fez o que diz um velho e conhecido ditado popular:

“Só tem tu, vai tu mesmo”.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Déficit atuarial na Previdência da Prefeitura de Teresina passa de R$ 4 bilhões, diz presidente do IPMT

Publicado

em

IPMT apresenta déficit financeira e atuarial

Teresina – O presidente do Instituto de Previdência Municipal de Teresina, Kennedy Glauber, informou nesta quinta-feira (3) que a déficit atuarial do IPMT é de R$ 4,5 bilhões. Kennedy não informou a partir de quando esse déficit afetaria os pagamentos de aposentadorias e pensões de servidores.

Kennedy Glauber, presidente do IPMT, informou existir déficit aturial na ordem de R$ 4,5 bilhões.
Kennedy Glauber: “temos uma dificuldade muito grande nesse início de gestão”

Segundo o gestor, o Instituto possui também uma dívida financeira de R$ 152 milhões, o que indica que o IPMT já não consegue arcar com o pagamento das obrigações previdenciárias.

“O IPMT hoje tem uma dívida financeira de 152 milhões de reais é deixada pela gestão anterior, então nós temos feito as tratativas necessárias para que a gente possa estar vendo a melhor forma de estar recuperando esse recurso. Nós temos hoje no IPMT um déficit atuarial de 4,5 bilhões de reais recebemos na semana passada o relatório do atuário e temos realmente uma dificuldade muito grande nesse início de gestão.”

Kennedy Glauber, presidente do ipmt

O déficit atuarial é a projeção de que vai faltar dinheiro para pagar aposentadorias e pensões dos servidores municipais no futuro. Segundo a legislação, as avaliações atuariais anuais devem ser realizadas até 31 de dezembro de cada exercício.

Veja também

Continue lendo

Nacional

Fábio Wajngarten: o homem que pode eximir Bolsonaro ou condená-lo na CPI

Publicado

em

Por

Fábio Wajngarten depõe na CPI da Covid nesta quarta-feira(11)
Fábio Wajngarten | Foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Sobre os ombros do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, advogado Fábio Wajngarten, pesa a responsabilidade de mudar os rumos da CPI da Covid no Senado Federal. Na primeira semana dos trabalhos da comissão, o governo Bolsonaro saiu derrotado em praticamente todos os depoimentos. Marcado para esta quarta-feira(12), o testemunho de Fábio Wajngarten pode […]
Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular