Conecte-se conosco

Política

Ministério realizará pregão internacional para kit intubação

Publicado

em

Ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (21) que a pasta vai realizar um pregão nacional e internacional para tentar normalizar os estoques de medicamentos do chamado kit intubação, usado em pacientes nas unidades de terapia intensiva.

De acordo com o ministro, o pregão será na modalidade sem fixação de preços. Queiroga explicou que o ministério já fez ações junto a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) para a aquisição desses insumos, mas que o procedimento não é rápido e que decidiu fazer um pregão no intuito de conseguir os medicamentos em um prazo mais curto.

“Ocorre que esse tipo de ação não é rápida a chegada desses insumos. Isso demora, no mínimo, cerca de 40 dias para chegar, o que tem tese é insuficiente para atender a demanda momentânea”, disse o ministro durante coletiva.

O ministro disse ainda que o ministério deve receber até o final do mês 1,1 milhão de medicamentos do kit intubação (formado basicamente por analgésicos, bloqueadores neuromusculares e sedativos) doados por empresas e que também espera a chegada de doações de outros países, como a Espanha.

“A Vale já nos doou dois milhões desses itens que foram distribuídos para estados e municípios. E ainda há 1,1 milhão [para receber], sendo que 900 mil chegam na próxima semana e 200 mil na primeira semana de maio”, disse. “A Espanha vai doar 80 mil itens desse kit de intubação com previsão de chegada na próxima semana”, acrescentou Queiroga.

Ao fazer um balanço das ações do ministério para resolver a demanda por itens para intubação, Querioga disse que, na sua avaliação, o cenário é de tendência de estabilização das internações e óbitos, ainda que em um patamar elevado.

“Minha opinião é que a fase mais crítica em relação a kits de intubação e do oxigênio, nós estamos muito próximos de vencer”

Conitec

Queiroga disse ainda que vai submeter à análise da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) o coquetel de remédios contra covid-19 da farmacêutica suíça Roche, aprovado para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A comissão é responsável por avaliar a introdução de produtos na rede do Sistema Único de Saúde. Segundo o ministro, o comitê vai analisar se o coquetel poderá ser utilizado no Sistema Único de Saúde (SUS) e também na saúde suplementar.

“Vamos avaliar tecnicamente e, no momento em que tivermos essa avaliação, vamos considerar esse medicamento para incorporação. Nós não consideramos apenas o emprego do medicamento no SUS mas também na saúde suplementar”, disse.

A próxima reunião da comissão está prevista para maio. Segundo Queiroga, o prazo para a análise é de até 180 dias, mas pode ser antecipado em razão da pandemia.

O ministro disse ainda que, além de fatores como eficácia e efetividade, a análise também vai se debruçar sobre questões econômicas, como o valor do medicamento, para saber se há viabilidade de utilização.

“Também há uma análise econômica que visa verificar os aspectos atinentes ao impacto orçamentário”, afirmou. De uma maneira geral é um debate em relação ao preço colocado [pela empresa], ao resultado que é prometido e o resultado que é obtido com o medicamento. Senão a gente não tem sustentabilidade no sistema de saúde”, afirmou.

Vacinas

O ministro disse ainda que está em tratativa com Pfizer para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19, para entrega em 2022. Queiroga também afirmou que a previsão da pasta é que a vacinação do grupo prioritário previsto no Plano Nacional de Imunização seja encerrada em setembro.

“O processo de vacinação no Brasil tem ocorrido cada vez mais célere e, se continuar nesse ritmo, até setembro vamos atingir a imunização da população prevista no plano. “Nosso objetivo é que isso ocorra antes”, disse.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Projeto da Residência Pedagógica realiza palestra sobre materiais didáticos no ensino remoto

Publicado

em

Por

Projeto da Residência Pedagógica realiza palestra sobre materiais didáticos no ensino remoto

O subprojeto Letras Inglês, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) promoverá, nesta sexta-feira (7), de 10h às 12h, uma palestra como parte da Formação Continuada de Residentes e Preceptores, para alunos regulares do curso de Letras Inglês e demais interessados, por meio do Google Meet.

A palestra terá como tema “(Re)pensando matérias didáticos para ensino remoto: Entendendo os papéis das metodologias ativas”, e como palestrante, Patrícia Oliveira Lucas, da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

As metodologias ativas são recursos necessários da aprendizagem e mecanismos didáticos que colocam o aluno direta e ativamente como protagonista no processo de aquisição do conhecimento, principalmente nos meses de pandemia, com o ensino remoto.

“A metodologia ativa apresenta e convida alunos, com auxílio da tecnologia, para aprendizagem colaborativa, aprendizagem híbrida, aprendizagem baseada em problemas, aprendizagem baseada em projetos, sala de aula invertida, portfólios e gamificação. Essas promovem autonomia do aprendiz”, explica a professora Maria Eldelita, coordenadora de área pedagógica de Letras Inglês.

Inscrições

A palestra contará com 50 vagas e as inscrições estão abertas até esta sexta (7), e podem ser feitas por meio do e-mail da coordenação do curso: [email protected]

The post Projeto da Residência Pedagógica realiza palestra sobre materiais didáticos no ensino remoto appeared first on Governo do Piauí.

=
Com Informação do Governo do Piauí

Continue lendo

Política

Rodoviárias de Teresina, Picos e Floriano chegam a 98% de satisfação do público

Publicado

em

Por

Rodoviárias de Teresina, Picos e Floriano chegam a 98% de satisfação do público

Os terminais rodoviários do estado do Piauí vivem um processo de transformação na qualidade do serviço oferecido. Desde a concessão da Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico das Rodoviárias (Sinart), por meio da Superintendência de Parcerias e Concessões do Piauí (Suparc), os Terminais de Teresina, Picos e Floriano passam por um processo de melhorias. Segundo relatórios de pesquisa de satisfação, os índices de boas avaliações chegam a mais de 98% no primeiro trimestre de 2021.

Os Terminais Rodoviários de Teresina, Picos e Floriano receberam aprovação em vários requisitos, como a limpeza (98,40%), segurança (87,2%) e sinalização (91,49%). O relatório completo está no site da PPP Piauí, oriundo de um estudo realizado pela empresa Consulte – Inteligência e Mercado durante os primeiros três meses do ano.

Robson Silva, coordenador do Terminal Rodoviário de Teresina, explica que uma série de ações foram necessárias para chegar a esse alto índice de aprovação entre os usuários. “Logo que chegamos aqui, fizemos estudos sobre as maiores deficiências e reclamações que a rodoviária apresentava: segurança, acessibilidade, organização, limpeza, sanitários. Baseados nisso, começamos a fazer as primeiras intervenções e as demais melhorias que o lugar necessitava. Hoje é notável a diferença entre o antes da PPP e após PPP. Por meio da pesquisa de satisfação que realizamos todo ano, percebemos a opinião dos usuários sobre o trabalho que está sendo realizado. E o retorno tem sido positivo. O objetivo da Sinart é este: continuar trabalhando para oferecer serviços cada vez melhores”, assegura o gestor.

Em Floriano, uma das concessionárias do interior, é notável a transformação do espaço após a concessão. “As pessoas estão satisfeitas com o serviço da rodoviária porque foram muitas melhorias realizadas. Antigamente, não havia uma limpeza adequada. Agora é feita de maneira correta, com mais higiene. A segurança também foi melhorada, do atendimento ao embarque. Hoje, temos catraca que controla o fluxo de pessoas, além, é claro, da comunicação visual”, aponta o diretor do terminal de Floriano, José Ricardo.

A situação também mudou em Picos. “Foram muitas mudanças, principalmente na área da limpeza, pois era caótica a situação dos banheiros do terminal. A Sinart reformou totalmente quatro banheiros, sendo dois para servidores e dois para o público. Reformou o teto, que estava em situação precária, com o telhado quebrado em diversos locais. Colocou elevador para acessibilidade de cadeirantes e idosos. Além disso, reformou toda a plataforma de embarque e desembarque colocando blocos de concreto, diminuindo o problema da poeira. Recuperou toda a área frontal do terminal e iluminou todo o espaço da plataforma e estacionamento que se encontrava em plena escuridão. Ficou ainda a executar alguns projetos como a iluminação de todo o terminal com lâmpadas LED, troca do piso e pintura do terminal, mas devido à pandemia foi obrigada a parar temporariamente as obras, que devem ser retomadas a qualquer momento”, revela Francisco de Assis, diretor da Rodoviária de Picos.

Para Viviane Moura, superintendente de Parcerias e Concessões do Estado, a opinião que vem dos usuários dos terminais é o principal indicador a ser levado em conta. “A satisfação do cliente é a melhor resposta que podemos ter a uma PPP. Oferecer serviços melhores à população é o objetivo das parcerias público-privadas, que contribuem, cada vez mais, para o desenvolvimento do estado”, ressalta a gestora.

Os resultados são frutos de um processo de modernização estrutural e de serviços. Em 2020, a concessionária investiu R$ 571.335,66 para otimizar os serviços ofertados pelos espaços, que estão localizados em pontos estratégicos de circulação dos piauienses. Guichês de informação, internet livre por meio do Piauí Conectado, estrutura confortável, segurança e limpeza são alguns dos fatores reforçados pela Sinart, que elevou a credibilidade junto aos usuários por meio de uma PPP do Governo do Estado do Piauí.

The post Rodoviárias de Teresina, Picos e Floriano chegam a 98% de satisfação do público appeared first on Governo do Piauí.

=
Com Informação do Governo do Piauí

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular