Conecte-se conosco

Política

Regimento Interno do Senado veda investigação em matérias dos Estados

Novo impasse político: Bolsonaro queria estados e municípios na CPI da Covid, mas regimento da casa impede.

Publicado

em

Pacheco deve vetar entrada de estados e municípios na CPI da Covid por causa do regimento interndo do Senado

Mais um capítulo da mais recente novela política brasileira: a CPI da Covid no Brasil. Desde a decisão do ministro Barroso do STF determinou sua abertura, desdobramentos diários revelam a situação das relações políticas escondida nos bastidores.

No dia seguinte à decisão do ministro do STF, o presidente Bolsonaro disferiu um ataque a Barroso: “Barroso não tem coragem moral” e faz “politicalha”. A novela não parou por aí. O Supremo reagiu às declarações do presidente da República, classificada por Alexandre Moraes (STF) de “grosserias”.

O tom inusitado veio com a divulgação, domingo e segunda (11) de uma conversa o senador Kajuru (Cidadania) e Bolsonaro, gravada por Kajuru. Em entrevista ao jornal O GLOBO, o senador disse: “Gravo conversa com todo mundo da política​.”, disse Kajuru.

Nova lei de licitações é sancionada pelo presidente Bolsonaro

Bolsonaro reagiu novamente ao episódio. O filho, Flávio Bolsonaro, também senador, ameaçou Kajuru com uma representação no Conselho de Ética do Senado. Mas a novela política brasileira, com episídios mais parecidos com os folhetins mexicanos, teve um novo desdobramento.

O senador Eduardo Girão (Podemos) liderou uma coleta de assinaturas para incluir na CPI da Covid os estados e municípios, ampliando a investigação para além de Brasília e do Governo Federal. Bem além. O foco, se ele é que ele ainda existiria, poderia ser vários dentre os mais de 5.000 municípios brasileiros.

Era o que Bolsonaro queria. Mas não podia. Bastava um dos assessores dos senadores, ou do próprio presidente da República ler o Regimento Interno do Senado Federal. Bem simples, direto, uma linha do artigo 146. O inciso três. “Art. 146. Não se admitirá comissão parlamentar de inquérito sobre matérias pertinentes: ‘III aos Estados’.”

Toda uma crise institucional e política gerada por algo que, à letra da lei não pode acontecer. Os mais de 34 senadores que assinaram a inclusão dos estados e municípios da CPI da Covid gastaram apenas tinta de caneta. Mas o Brasil perde muito tempo enquanto pessoas morrem pela doença.

Triste um país onde políticos não se dão ao trabalho nem de ler o regimento interno de uma casa. Retrato do Brasil de hoje onde quem deveria cuidar da população e já se preocupava demais com eleição, agora se preocupa com curtidas em redes sociais.

Preocupados ficamos nós com tudo isso.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Fábio Wajngarten: o homem que pode eximir Bolsonaro ou condená-lo na CPI

Publicado

em

Por

Fábio Wajngarten depõe na CPI da Covid nesta quarta-feira(11)
Fábio Wajngarten | Foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Sobre os ombros do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, advogado Fábio Wajngarten, pesa a responsabilidade de mudar os rumos da CPI da Covid no Senado Federal. Na primeira semana dos trabalhos da comissão, o governo Bolsonaro saiu derrotado em praticamente todos os depoimentos. Marcado para esta quarta-feira(12), o testemunho de Fábio Wajngarten pode […]
Continue lendo

Política

Wellington Dias trata sobre imunização em massa com Anvisa, governadores e senadores

Publicado

em

Por

Wellington Dias trata sobre imunização em massa com Anvisa, governadores e senadores
Reunião com Anvisa, governadores e senadores. Foto: Jorge Bastos

O presidente do Consórcio Nordeste e governador do Piauí, Wellington Dias, reuniu-se, virtualmente, nesta segunda-feira (10), com representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Comissão Temporária da Covid-19 e com governadores. Em pauta, as dificuldades enfrentadas pelos estados, o estágio da pandemia, o progresso do cronograma de vacinação e a compra de vacinas de maneira descentralizada por estados e municípios.

Wellington Dias pretende buscar junto ao Governo Federal a celeridade na imunização da população e manter o fomento da economia nacional. “Agradeço a abertura do diálogo com a Anvisa e faço um apelo para que possamos alcançar cerca de 100 milhões de doses de vacina para que o Brasil tenha condições de imunização em massa, pelo menos, até agosto deste ano, como vai ocorrer com os países mais desenvolvidos. Queremos garantir variadas vacinas e produção de IFA pelo Butantan, União Química e Fiocruz. Precisamos evitar uma terceira onda da Covid-19”, afirmou o governador.

Na reunião, alguns pontos destacados foram: a situação atual dos leitos de UTI e oxigênio medicinal; programa de testagem da população nos estados e municípios; compra e fabricação de vacinas; retorno das aulas presenciais; isolamento social e medidas restritivas.

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular