Conecte-se conosco

Geral

Festival de Música Rádio MEC 2021 abre inscrições para 13ª edição

Publicado

em

Festival de Música Rádio MEC 2021 abre inscrições para 13ª edição

A partir desta segunda-feira (26), intérpretes e compositores de todo o Brasil poderão inscrever suas composições na 13ª edição do Festival de Música Rádio MEC. Ao todo, 12 prêmios serão distribuídos em quatro categorias: Música Clássica, Música Instrumental, Música Infantil e Música Popular. De cada uma, sairá a melhor composição inédita, o melhor intérprete e a vencedora no voto popular.

Clique aqui e se inscreva no Festival de Música Rádio MEC 2021

Assim como em 2020, o Festival de Música Rádio MEC 2021 será totalmente online, devido à pandemia da covid-19. Além de todas as inscrições serem online, o anúncio dos classificados para as fases semifinais e finais e dos premiados se dará por meio de lives (transmissões ao vivo) nas redes sociais da Empresa Brasil de Comunicação.

A abrangência nacional do concurso (em 2020, apenas músicos da região Sudeste e do Distrito Federal puderam se inscrever) e o aumento do número de prêmios por voto popular (até 2020, apenas uma composição era premiada por meio de votação na internet) são as principais novidades da edição deste ano.

Para Thiago Regotto, gerente das rádios MEC AM e MEC FM, as novidades deixam o festival (um dos mais tradicionais do Brasil) mais amplo e atrativo. “Envolver mais categorias na votação popular trouxe mais calor ao festival. Antes o público escolhia um vencedor. Agora são quatro. E, ao abrir a participação, deixamos de ser um festival regional para ser um festival nacional”, diz.

Regotto aponta que há uma tendência para, mesmo depois da pandemia e a volta de shows presenciais (como ocorreu até 2019), o festival continuar fortalecido na web. “A internet permitiu abrir o festival para todo Brasil. Era algo que não tínhamos como perspectiva a curto prazo. E a gente percebeu que é um festival que tem o rádio como sua base, mas precisa estar na internet. Não tem como voltar atrás”, aponta.

Ouça na Radioagência Nacional

Acompanhe essa e outras notícias na Radioagência Nacional

Regras

As inscrições da primeira fase estão abertas até o dia 21 de junho, por meio do site oficial do festival. Cada participante poderá inscrever até duas composições por categoria e deverá preencher uma ficha de inscrição.

As músicas serão submetidas a um júri técnico. No dia 17 de julho, as músicas classificadas para as semifinais (até 100) serão divulgadas por meio de uma transmissão ao vivo, passarão a ser veiculadas nas rádios MEC e MEC FM e estão disponíveis para votação, no site do festival, que vai definir três finalistas em cada categoria.

A divulgação das finalistas (três por modalidade) ocorrerá, de acordo com o edital do concurso, no dia 25 de agosto. A cerimônia de premiação dos vencedores (que serão definidos por um júri técnico e votação popular) está prevista para ocorrer no dia 25 de setembro. Para mais detalhes, acesse o edital do Festival de Música Rádio MEC 2021.

Para compositores, uma oportunidade de divulgação 

No ano passado, a estratégia de fortalecer o festival em meios digitais (por meio de divulgação de vídeos de vencedores de edições anteriores e campanhas em redes sociais e sites da Empresa Brasil de Comunicação) fez com que 1.023 composições fossem inscritas – recorde de todas as edições.

Para os compositores que chegaram à fase final do Festival de Música Rádio MEC, o concurso é de suma importância na inserção de novos talentos na cena musical brasileira e os benefícios vão muito além de sua premiação.

O compositor Tiberius, finalista da edição do ano passado do festival na categoria Música Clássica, relata que a participação abriu portas e o ajudou a fazer contatos. “Embora eu não tenha sido contemplado com algum prêmio, a repercussão foi imensa. Criei um vínculo e participei do Antena MEC (programa das rádios MEC e MEC FM) e isso fez com que as possibilidades artísticas se ampliassem”.

O compositor (que está produzindo um documentário autobiográfico em que cita o festival) afirma que também deseja participar da edição de 2021. “Embora eu esteja um tanto ocupado com outras atividades, que são muitas, referentes ao documentário as gravações, eu desejo participar e, talvez, em mais de uma categoria”, diz.

Vencedor da categoria Voto Popular com mais de 157 mil votos, o músico Dalton Freire relata que o festival foi um divisor de águas em sua carreira. “A repercussão na minha carreira foi a melhor possível. Eu tive a chance de ver a música Viva Bossa executada na programação da Rádio MEC durante um mês e com a premiação, aproveitei o momento para lançar o meu CD com essa música de carro-chefe”. Sobre participar em 2021, ele disse que “vai participar de todas as edições daqui para frente”.

Ivan Melillo, que ganhou o prêmio de melhor composição na categoria Música Instrumental, diz que o festival o ajudou profissionalmente e o proporcionou satisfação pessoal. “Ganhar o festival dá uma certa credibilidade no seu trabalho, é uma coisa muito importante no meu currículo. Além disso, fazer parte da Rádio MEC é uma satisfação, pois muitos dos meus ídolos tocaram lá”, relata.

Além de Dalton Freire e Ivan Melillo, foram premiados na edição de 2020 Rodrigo Batalha, Quarteto Kalimera, Pedro Franco, Tina França e Cleo Boechat, Angela Brandão, Chico Oliveira e Bianca Gismonti. Confira abaixo as músicas vencedoras de Festival de Música Rádio MEC 2020 e relembre como foi a final do concurso no ano passado: 

Música Clássica:

Entrecordas

Jardins da Villa

Música Instrumental:

La ciba, no te quiero más

Inverno no Pelô

Música Infantil:

Melecada

Pum

Categoria MPB:

Enquanto o Fole Respirar

Tem Dor

Voto Popular:

Viva Bossa

Assista ao vídeo de premiação da edição de 2020:

=
Com Informação da Agência Brasil

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Despedida de Paulo Gustavo será hoje, em cerimônia reservada

O corpo do ator e comediante Paulo Gustavo será cremado hoje (6), em cerimônia reservada à família e aos amigos mais próximos.

Publicado

em

Por

Ator Paulo Gustavo morre de covid-19

O corpo do ator e comediante Paulo Gustavo será cremado hoje (6), em cerimônia reservada à família e aos amigos mais próximos. Segundo a assessoria de imprensa do artista, as informações de local e horário não serão divulgadas, para evitar aglomerações em meio à pandemia de covid-19.

Paulo Gustavo faleceu na noite de ontem (4), de complicações decorrentes da doença causada pelo novo coronavírus, aos 42 anos. Ele estava internado desde o dia 13 de março no Hospital Copa Star, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. O ator deixa marido, o médico Thales Bretas, e dois filhos gêmeos, Romeu e Gael, de um ano e oito meses.

Homenagens em Niterói

A prefeitura de Niterói publicou nota de pesar pela morte de Paulo Gustavo e decretou luto oficial de três dias. Aderindo ao chamado das redes sociais, a prefeitura convida a população da cidade a fazer um minuto de aplausos em memória do artista, hoje às 20h.

Há, ainda, a intenção de mudar o nome da Rua Coronel Moreira César, em Icaraí, para Rua Ator Paulo Gustavo. Para isso, a prefeitura lançou hoje uma consulta pública pela plataforma Colab, que fica aberta até sábado (8).

O coronel Moreira César foi um militar brasileiro nascido em Pindamonhangaba (SP) em 1850, que morreu em 4 de março de 1897 após ser ferido na campanha contra a comunidade de Belo Monte, na Bahia, no que ficou conhecido como Guerra de Canudos.

O ator nasceu na cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro e iniciou a carreira em 2006, quando foi indicado ao prêmio Shell no ano de estreia do espetáculo Minha Mãe é uma Peça, comédia que montou para o teatro e que o consagrou nacionalmente quando foi adaptada para o cinema. Na telona, a cidade de Niterói é cenário para as peripécias de Dona Hermínia, a personagem criada por ele.


Com Informação da Agência Brasil

Continue lendo

Geral

Polícia indicia Dr. Jairinho e Monique pela morte do menino Henry

Publicado

em

Por

Polícia indicia Dr. Jairinho e Monique pela morte de Henry

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio duplamente qualificado – impossibilidade de defesa da vítima e pelo emprego de tortura – o vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho (sem partido), e a professora Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry Borel, de 4 anos.

Laudo do Instituto Médico Legal revelou que o menino, morto no dia 8 de março, sofreu 23 lesões, três delas na cabeça, e morreu devido a uma hemorragia no fígado provocada por ação violenta.

Além do homicídio, Jairinho também foi indiciado por dois episódios de crime de tortura ocorridos em fevereiro e Monique, por tortura por omissão, porque, segundo as investigações, ela sabia que o filho estava sendo torturado e não agiu para evitar o crime.

O inquérito foi enviado para o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro que vai decidir se denuncia ou não o casal pelos crimes.

Nova versão

Durante seu depoimento à polícia, Monique disse que Henry tinha caído da cama. Depois, em cartas escritas na prisão, ela mudou sua versão e disse que mentiu porque tinha medo de Jairinho e afirmou ter sido manipulada. A defesa quer que a polícia tome novo depoimento da professora.

“Sobre o argumento [da defesa] de calar a Monique, isso é absolutamente descabido. Ela foi ouvida por horas. Por lei, ela terá oportunidades para se manifestar em juízo: na presença de seus advogados, promotor de justiça e juiz de direito. A única pessoa que foi calada nessa situação toda foi o Henry. Ele foi calado. Ele pediu ajuda e não foi ouvido. Ela teve oportunidade de se manifestar”, disse hoje (4) o titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), delegado Henrique Damasceno, que conduziu as investigações.

Defesa

A defesa de Jairinho disse que houve muito açodamento para a conclusão do inquérito e que não há dúvida de que a mesma celeridade ocorrerá da parte do Ministério Público. “Esta pressa não é aconselhável em um processo de alta complexidade. A pressão da opinião publica não pode interferir sob pena do cometimento de erros graves”, informou a defesa.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Monique Medeiros e aguarda posicionamento.


Com Informação da Agência Brasil

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular