Conecte-se conosco

Cidades

SAAD Leste reúne permissionários de cemitérios e mercados públicos

Publicado

em

SAAD Leste reúne permissionários de cemitérios e mercados públicos

A Gerência de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência das Ações Descentralizadas Leste (SAAD Leste), através da Prefeitura Municipal de Teresina, realizou ontem (19), uma reunião com administradores, técnicos e representantes dos permissionários de mercados públicos e cemitérios da zona Leste de Teresina. A gerência é responsável pela coordenação e execução das atividades relativas à política de serviços urbanos.

De acordo com Renato Lopes, gerente da GSU, o órgão visa melhorar a gestão dos espaços e manter um estreito relacionamento com os permissionários, que prestam serviços para a Superintendência. Em relação aos mercados públicos, Lopes explicou que todos precisam seguir uma série de exigências para funcionar plenamente.

“Na pauta dos mercados estava a questão do recadastramento dos permissionários, a cobrança de taxas, responsabilidade e obrigações quanto à manutenção do seu ponto e o descarte correto do lixo. A questão da higienização é importantíssima, principalmente, porque estamos numa pandemia. Sabemos que como é um setor de local de venda de alimentos, estes devem ser acondicionados e higienizados corretamente. Os funcionários devem obedecer rigorosamente à exigência do uso correto da máscara e do álcool em gel, como também fazer o levantamento de todas as demandas necessárias para um melhor atendimento ao público”, ressaltou o gerente.

Reunião contou com administradores, técnicos e representantes dos permissionários de mercados públicos e cemitérios da zona Leste de Teresina. (Foto: Ascom/SAAD Leste)

Quanto à questão dos cemitérios, a SAAD-Leste pede aos administradores que façam um levantamento de campo em todos da região Leste, para que haja um recadastramento de todas as sepulturas existentes.

“Através desse recadastramento, teremos um número exato de quais sepulturas já estão perpetuadas, e as que não estiverem, iremos notificar as famílias para que venham regularizar a situação. No ato do sepultamento, a família tem 5 anos se for adulto e 3 anos criança, para requerer uma certidão de perpetuidade. Quem tem direito no ato do falecimento são marido e mulher, pais e filhos ou os descendentes mais próximos”, enfatizou Lopes.
Ele acrescentou que outros assuntos inerentes aos cemitérios foram discutidos como a construção das gavetas, a regularização dos horários de atendimento com plantão.

“Os cemitérios funcionam o dia todo, de segunda a segunda. Fizemos a reunião para que os funcionários fizessem o atendimento da forma correta e trouxessem também as necessidades de cada um, quanto à questão administrativa, materiais essenciais, para gerar eficiência e menos burocracia”, frisou Renato Lopes.

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Professora monta diário da quarentena com relatos da rotina dos alunos em casa

Publicado

em

Por

Professora monta diário da quarentena com relatos da rotina dos alunos em casa

O momento de pandemia trouxe uma série de problemas sociais, mas também motivou importantes reflexões. O isolamento social foi a temática escolhida pela professora Jerlany Séba para influenciar os alunos a escrever sobre suas rotinas. A atividade é parte da disciplina protagonismo juvenil na Escola Municipal Ofélio Leitão, zona Sul de Teresina.

Fotos: Ascom Semec

A unidade de ensino funciona em jornada de tempo integral, por isso possui em sua grade curricular disciplinas diversificadas. No protagonismo juvenil, a turma é estimulada a ter autonomia e responsabilidade para tomar decisões. Nesse sentido, as atividades práticas ganham destaque, sempre com a intenção de preparar os alunos para que sejam os principais atores de seus projetos de vida.

No Diário da Quarentena, desafio proposto pela professora Jerlany aos alunos do 6º ao 9º ano, os estudantes relataram em textos e desenhos as vivências do período em casa. “A pandemia alterou profundamente a rotina que nossos alunos tinham na escola, além do aprendizado formal, do espaço de socialização e crescimento pessoal”, disse a professora.

As produções trazem relatos pessoais sobre a rotina dentro de casa, onde compartilham suas comidas favoritas, filmes mais assistidos, animais de estimação e até desenhos sobre as paisagens vistas da janela. Tudo foi compilado em um diário da turma, que será discutido no retorno presencial.

“Falar sobre essas mudanças é fundamental para que possam aprender a se reorganizar em um contexto diferente. Traz reflexões sobre essa vivência e constrói memórias afetivas sobre experiências agradáveis durante o isolamento. Vamos mostrar que o aprendizado real pode ser mais significativo que os momentos difíceis que cada um deles está enfrentando”, conclui a professora.

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Cidades

Teresina é exemplo para o Programa Nacional de Alimentação Escolar

Publicado

em

Por

Teresina é exemplo para o Programa Nacional de Alimentação Escolar

Fotos: Ascom Semec

Representantes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) estiveram reunidos com técnicos da Secretaria Municipal da Educação de Teresina, nesta semana, para reforçar a participação da agricultura familiar na alimentação escolar. O objetivo é de fomentar ações conjuntas de fortalecimento dos agricultores familiares e de promoção da segurança alimentar e nutricional, no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). A série de visitas, que teve início em abril, deve percorrer todas as capitais do país.

De acordo com o diretor de Ações Educacionais do FNDE, Garigham Amarante, a cidade de Teresina é um verdadeiro exemplo para o Pnae, tendo em vista os números alcançados, acima de 30%, que representam um comprometimento com a Agricultura Familiar, garantindo que os alimentos cheguem até os alunos, tanto neste momento de pandemia, como em um futuro bem próximo com o retorno das aulas presenciais. “Estamos percorrendo todas as capitais brasileiras, verificando como está a adesão aos produtos da agricultura familiar, o que os alunos estão consumindo. Em algumas capitais, infelizmente, não verificamos o alcance de 30% de aquisição dos produtos, mas em outras capitais, este número é superado. Teresina está acima do esperado”, enfatiza Garigham.

A coordenadora-geral do Pnae, Karine Santos, disse que a capital Teresina vem executando as ações de merenda escolar, seguindo as orientações do Governo Federal, com a legislação vigente, que é especifica para este momento de pandemia. “Conferimos que os kits de gêneros alimentícios estão sendo entregues aos pais dos estudantes. E o que é melhor, Teresina, através da Secretaria Municipal de Educação está valorizando e mantendo as aquisições junto a agricultura familiar. Então, na composição do kit que chega até o aluno, dispõe de alimentos da agricultura familiar e para o Pnae é muito importante, por que é possível fomentar a economia local e garantir a necessidade nutricional do estudante. Seguimos nesta parceria com o município de Teresina”, ressalta Karine Santos.

O secretário, professor Nouga Cardoso disse que é um compromisso da Prefeitura de Teresina, através da Semec, adquirir produtos cultivados pelos trabalhadores da agricultura, valorizando o que vem sendo produzido na região, com alimentos de qualidade.

Já a secretária executiva de Gestão da Semec, professora Edileusa Sampaio ressaltou o comprometimento de toda a equipe de nutricionista da Secretaria que vem realizando uma busca ativa, seja na entrega dos kits, bem como na análise da qualidade dos produtos que chegam à mesa dos alunos da Rede Municipal de Ensino.

Participaram da reunião, técnicos da Semec, o secretário executivo de Ensino, Kleytton Santos e o secretário municipal de Produção Agropecuária, Coronel Edvaldo Marques.

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular