Conecte-se conosco

Cidades

Exposição Teceloas das Redes segue aberta na Galeria do Mercado Central

Publicado

em

Exposição Teceloas das Redes segue aberta na Galeria do Mercado Central

A exposição Teceloas das Redes trata sobre o saber-fazer da Tecelagem Manual das Redes de Dormir de Pedro II Fotos(Ascom/FMC)

Localizada em um dos mercados mais tradicionais de Teresina, a Galeria de Artes Visuais do Mercado Central, no Centro da capital, está recebendo uma exposição que tem por objetivo destacar um ícone da cultura nordestina: as redes.

A exposição Teceloas das Redes trata sobre o saber-fazer da Tecelagem Manual das Redes de Dormir de Pedro II, município que fica ao Norte do Piauí e que é referência na fabricação de redes.

Com curadoria de Ivanilda Amaral, que estudou a prática do uso de redes para dormir em seu mestrado em patrimônio, ela tenta passar com a exposição o empreendedorismo com desenvolvimento da economia criativa, que gera trabalho e renda, frente aos desafios econômicos da crescente industrialização e a manutenção de práticas tradicionais na produção de redes.

Resultado da construção do inventário participativo que ela fez na cidade de Pedro II, a exposição apresenta 12 redes e dois teares e mostra toda a cadeia de produção do produto. Da colheita do algodão até a venda das redes. Para ela, o local combina com a exposição e seus objetivos, já que o Mercado Central de Teresina é referência na venda de redes.

“A Galeria oferece excelentes condições para divulgação e visibilidade, tem uma equipe incrível, além disso, é claro, da lindeza secular do lugar, que combina com a secularidade da rede de Pedro II. Soma-se a tudo o fato de que é em mercado público onde as teceloas comercializam seus produtos, então, primamos pelas raízes e originalidade da tradição”, comenta a curadora Ivanilda Amaral.

Para Guga Carvalho, diretor da Galeria de Artes Visuais do Mercado Central, a exposição mostra uma tradição nossa e reforça a importância da Galeria para os teresinenses. “A Galeria é um espaço democrático de acesso à cultura, tem acessibilidade, tem equipe educativa e está em um local de fácil acesso. É muito importante mantermos espaços assim, principalmente neste período de pandemia onde a arte ajuda a superar as dificuldades”, reforça Guga Carvalho.

A Galeria do Mercado Central tem abrigado e dado a oportunidade para artistas de Teresina e da região exporem seus trabalhos, o espaço funciona de segunda a sexta-feira das 10 às 16h e é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC). Para mais informações sobre o calendário de exposições na galeria, basta acessar o site cultura.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da galeria ou da FMC.

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Equipes de limpeza conscientizam população da zona sul sobre o descarte irregular de lixo

Publicado

em

Por

Equipes de limpeza conscientizam população da zona sul sobre o descarte irregular de lixo

Dando continuidade ao trabalho de conscientização da população sobre o descarte irregular de lixo, as equipes de Coordenação de Limpeza Pública da SEMDUH estão, hoje (15), no bairro Santa Cruz, zona sul de Teresina. Esta é a terceira zona da cidade onde está sendo realizado esse projeto.

O mesmo trabalho já foi realizado no bairro Mocambinho, zona norte, e no bairro Beira Rio, zona sudeste. Os resultados são considerados bastante positivos, reduzindo o acúmulo de lixo nas ruas.

“Nos locais onde estamos realizando essa ação, temos obtido bons resultados. A população está mais consciente, a quantidade de pontos de descarte irregular diminuiu e nós vamos continuar com esse trabalho, atrelando ele a outras ações, como o plantio de árvores e flores em alguns desses locais mais críticos”, afirma o coordenador de limpeza pública da SEMDUH, Fabrício Amaral.

(Foto: Ascom/Semduh)

O objetivo desse trabalho é reduzir os ‘lixões a céu aberto’, provocados pela própria população, que usa as vias públicas e os terrenos ainda não murados para o descarte de todo tipo de resíduos. A SEMDUH mapeou alguns pontos “viciados” de descarte incorreto de lixo e é nesses locais onde os serviços de conscientização estão acontecendo.

Os serviços incluem limpeza dos pontos críticos, panfletagem, sensibilização de casa em casa, carro de som com informes e a instalação de uma placa indicando que é proibido jogar lixo no local.

(Foto: Ascom/Semduh)

Além de causar prejuízos à saúde pública aumentando a proliferação de mosquitos, jogar lixo em local proibido também entope as galerias e provoca alagamentos durante as chuvas. A primeira região contemplada com esta ação de conscientização foi o Bairro Beira Rio, na zona sudeste, e o segundo no Mocambinho, na zona norte.

Nesses locais, foram instaladas placas indicando a proibição do descarte de lixo e as equipes de limpeza vão de porta em porta nas residências próximas para conversar com os munícipes e explicar sobre os prejuízos.

(Foto: Ascom/Semduh)

As ações das equipes de limpeza estão acontecendo semanalmente, intercalando todas as zonas da cidade (norte, sul, sudeste, leste e centro). E todos os meses serão listadas novas áreas no cronograma, para que possamos chegar ao maior número de pessoas possível.

(Foto: Ascom/Semduh)

(Foto: Ascom/Semduh)

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Cidades

Moradores do Deus Quer recebem limpeza de fossas sépticas

Publicado

em

Por

Moradores do Deus Quer recebem limpeza de fossas sépticas

Dona Belinha Luz mora no Residencial Deus Quer há 32 anos e quando soube que havia um serviço de limpeza de fossas sépticas gratuita, ficou incrédula. “Eu fui tirar essa história a limpo, porque eu estava achando meio difícil uma coisa tão importante dessa”.

Ela foi se informar melhor e descobriu que o serviço existe e é muito fácil de solicitar. Basta o cidadão se dirigir à Superintendência de Ações Administrativas Descentralizadas – Sudeste com as cópias do RG, CPF e comprovante de residência. Após a abertura do protocolo, a equipe realiza uma visita domiciliar e encaminha os dados da família para a empresa, que vai agendar a data da limpeza.“Foi muito simples, bom demais! ”, comemora Belinha.  “Muito bacana, porque não é toda vez que a gente pode pagar para limpar e aparecendo uma oportunidade dessa a gente agarra com tudo”, afirma.

Belinha Luz recebe equipe da SAAD Sudeste (Foto: SAAD Sudeste)

A gerente de habitação da SAAD – Sudeste, Samara Cunha, conta que a prefeitura realiza esse serviço para famílias de baixa renda. “A família precisa ter uma renda de até 2 salários mínimos. Também não há prazo. Agora estamos limpando 20 fossas no Residencial Deus Quer, mas durante o ano inteiro estamos aceitando pedidos de limpeza de fossas de toda a região. É um serviço contínuo”, explica.

Elizângela Ribeiro também mora no Deus Quer e solicitou a limpeza da fossa de sua residência.  “É um benefício para nós, porque nem todo mundo tem renda para fazer essa limpeza e é uma questão de saúde. Principalmente quando chove, as fossas enchem e não temos como pedir para alguém limpar”, conta.

Elizângela Ribeiro faz cadastro para limpeza de fossas. (Foto: SAAD Sudeste)

O superintendente da SAAD – Sudeste, Zé Nito, comenta a importância do serviço. “Limpeza de fossas é saúde! Realizamos esse serviço todo mês e queremos que toda a população da zona sudeste saiba que é muito fácil solicitar. Estamos de portas abertas para todos os moradores”, conclui.

A SAAD – Sudeste fica localizada na Av. Dep. Paulo Ferraz, 1895 – Beira Rio.

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular