Conecte-se conosco

Cidades

Três variantes do coronavírus circulam no Piauí

Publicado

em

Vacina Brasileira desenvolvida pelo Butantan

A Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI), por meio da Coordenação de Epidemiologia/Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e o Laboratório Central do Piauí (Lacen), confirma que foram detectadas no Piauí três variantes da Covid-19.

São elas a P.1, P.2 e a N9, consideradas preocupantes pelo poder de transmissibilidade acarretando em casos mais graves da doença. Ao todo, 13 pessoas no Estado já foram acometidas com essas variantes com idades que variam de nove a 82 anos.

Segundo a coordenadora de Epidemiologia da Sesapi/Cievs, Amélia Costa, os casos são todos considerados autóctones, ou seja, originados aqui mesmo no Piauí. “Os pacientes que detectamos com as variantes não tiveram contato com pessoas de outros Estados, nem saíram do Piauí, portanto, a variante está circulando aqui mesmo, no nosso Estado”, conclui.

A diretora do Lacen, Walterlene Carvalho, explica que o sequenciamento das amostras para Sars-CoV-2 detectam as variantes do vírus, consideradas mais perigosas e letais. “A variante é o vírus que mudou no processo de replicação, multiplicação, ao ser passado de uma pessoa para a outra. O vírus original pode ter muitas variantes, conforme sua circulação”, explica.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, as novas variantes impactam nos números da Covid no Piauí por terem uma transmissibilidade maior. Ele alerta, entretanto, que essas variantes não são as únicas responsáveis pela situação em que estamos vivendo. “A colaboração da população em relação às medidas de higiene são fundamentais para que possamos sair da pandemia. Manter o distanciamento, usar máscaras, álcool e não aglomerar continuam sendo imprescindíveis para evitar novas mortes”, alerta o gestor.

Diferença entre mutação, variante, linhagem e cepa

As mutações são mudanças que acontecem no material genético (DNA) dos organismos ao se multiplicar. Essas mudanças, muitas vezes, são responsáveis pelo surgimento de novas espécies. As mutações são mais comuns em locais com alta taxa de circulação do vírus e, para diminuir o número de mutações, é necessário parar a epidemia.

A variante é o vírus que mudou no processo de replicação, multiplicação, ao ser passado de uma pessoa para a outra. O vírus original pode ter muitas variantes, conforme sua circulação. A P.1, por exemplo, é a variante brasileira encontrada primeiramente em Manaus (AM), mas ainda existem a B.1.1.7, que foi identificada em dezembro de 2020, no Reino Unido, e a 501Y.V2 ou B.1351, localizada na África do Sul.

A linhagem é definida como um grupo de variantes que se originam de um vírus comum, mas se diferenciaram e agora são encontrados em grande quantidade após sua consolidação.

A cepa é uma variante ou um conjunto de variantes dentro da linhagem, um pouco diferente do vírus original. As cepas podem ser de linhagens diferentes ou uma linhagem pode ter várias cepas diferentes.

Reforce os cuidados contra a Covid-19

Para proteger a si mesmo e as pessoas ao seu redor, continue mantendo os cuidados para evitar a propagação do coronavírus:

– Lave suas mãos com frequência. Use sabão e água ou álcool em gel.
– Mantenha uma distância segura de pessoas que estiverem tossindo ou espirrando.
– Use máscara quando não for possível manter o distanciamento físico.
– Não toque nos olhos, no nariz ou na boca.
– Cubra seu nariz e boca com o braço dobrado ou um lenço ao tossir ou espirrar.
– Fique em casa se você se sentir indisposto.
– Procure atendimento médico se tiver febre, tosse e dificuldade para respirar.
– Ligue com antecedência para o plano ou órgão de saúde e peça direcionamento à unidade mais adequada. Isso protege você e evita a propagação de vírus e outras infecções.

The post Três variantes do coronavírus circulam no Piauí appeared first on Governo do Piauí.

=
Com Informação do Governo do Piauí

Cidades

Abrigo Piratinga recebe ações de retelhamentos, pinturas e limpeza neste domingo (20)

Publicado

em

Por

Abrigo Piratinga recebe ações de retelhamentos, pinturas e limpeza neste domingo (20)

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), em parceria com o Instituto Casa Pão Nosso (ICPN) e a Pastoral de Rua, promoveu neste domingo, (18/06), uma ação de melhoria estrutural no abrigo Piratinga, localizado no Bairro Poti Velho, zona Norte de Teresina, que acolhe 10 famílias indígenas venezuelanas. A ação faz parte do Projeto Pintou Solidariedade, que realiza serviços de retelhamento, pinturas e limpeza no ambiente.

(Foto: Ascom/Semcaspi)

Segundo Aline Teixeira, secretária executiva do SUAS da Semcaspi, a ação tem como objetivo melhorar o ambiente de moradia no abrigo e contou com a participação do grupo voluntário e dos próprios acolhidos.

“A iniciativa é importante, principalmente, porque os acolhidos estão participando ativamente das ações e não apenas recebendo. O ato de participar destas melhorias, pintando, limpando os ambientes em que eles utilizam no seu cotidiano, ajuda a fortalecer o vínculo entre as famílias”, pontuou.

(Foto: Ascom/Semcaspi)

Para Beth Sousa, coordenadora do Instituto Casa Pão Nosso, desde 2020, são realizadas ações no abrigo Piratinga, em que o grupo de voluntários realizou visitas, triagem e rodas de conversa para conhecer a história e a cultura desta população.

“Com o Projeto Pintor Solidariedade, conseguimos massa corrida, lixas, pincéis, gesso, cal e outros. As famílias ficaram satisfeitas com a proposta da ação e acreditaram no nosso trabalho. O objetivo é higienizar o ambiente e tornar mais digna a moradia, por meio do trabalho coletivo e solidário. A gente quis mostrar que se eles se juntarem os resultados positivos serão bem melhor para a convivência”, esclareceu.

(Foto: Ascom/Semcaspi)

ACOLHIDOS NA AÇÃO

Um dos acolhidos que se disponibilizou a ajudar na ação foi o indígena venezuelano, que se identificou apenas como Louis. Ele reconhece a importância de manter o ambiente limpo e arejado.

“Moro aqui com um dos meus filhos e a minha esposa. A gente tem se preocupado em manter o espaço o mais limpo possível, para evitar doenças e vivermos melhor”, destacou.

Para ajudar na limpeza dos espaços no abrigo, a Semcaspi disponibiliza, semanalmente, às famílias indígenas venezuelanas, além das cestas básicas, kits de produtos de limpeza e higiene. Estes kits limpeza contêm produtos, como: sabão em pó, sabão em pedra, água sanitária, sacos de lixo e outros.

(Foto: Ascom/Semcaspi)

(Foto: Ascom/Semcaspi)

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Cidades

Prefeito participa do lançamento do Arte na Rua e Festival Junino de Teresina

Publicado

em

Por

Prefeito participa do lançamento do Arte na Rua e Festival Junino de Teresina

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

A Prefeitura Municipal de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), lançou neste sábado (19) os projetos Festival Junino de Teresina e o Arte de Rua. O evento aconteceu no Parque Encontro dos Rios na zona Norte da capital e contou com a presença do Prefeito Dr. Pessoa acompanhado do presidente da FMC Scheyvan Lima e outras autoridades do município.

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

O prefeito Dr. Pessoa reforçou a importância de se manter viva, mesmo com o período da pandemia, o amor de todos pela cultura, observando todos os cuidados necessários de distanciamento e higienização devido ao momento de pandemia que se vive.

“Mesmo com o período da pandemia nós não vamos deixar a cultura morta. Nós temos aqui uma amostragem nesse momento com distanciamento, com uso da máscara, álcool gel, medindo temperaturas, fazendo higienização das mãos. Mas, nós devemos mostrar que o prefeito ama a cultura, o povo teresinense, o povo brasileiro e o mundo inteiro amam a cultura. Ninguém vive, uma sociedade organizada não pode viver sem ter a cultura no meio. É o que nós estamos fazendo, dando continuidade, embora de maneira sútil, não ampliada por causa da pandemia”, ressaltou o prefeito.

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

O presidente da FMC Scheyvan Lima disse que a pandemia da Covid-19 levou pelo segundo ano consecutivo o cancelamento das grandes e pequenas festas juninas na capital e que essa pausa foi necessária para que vidas não fossem colocadas em perigo, uma vez que todos esses eventos iriam gerar aglomerações. Ainda de acordo com o gestor, o Festival Junino de Teresina irá possibilitar uma movimentação no cenário cultural, ajudando a manter viva a tradição do período junino na cidade.

“O prefeito Dr. Pessoa, reforça a importância de se manter viva a esperança e o despertar da alegria do São João mesmo diante das adversidades enfrentadas durante a pandemia, por isso ele solicitou que a pasta da cultura colocasse em prática este projeto, pois para ele diante dos problemas provocados pela pandemia a população precisa de algo que venha a aliviar a mente”, comenta Scheyvan Lima.

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

Scheyvan Lima ainda esclarece sobre o projeto Arte de Rua que pretende levar qualquer elemento cultural para todos os cantos da cidade.

“O Arte na Rua tem objetivo levar arte, com todos os seus elementos, para as ruas e as praças, mercados e também para as comunidades mais distantes, incluindo zona Rural. Então nós teremos, com ordem do prefeito Dr. Pessoa, esse projeto que nos permite levar para qualquer canto dessa cidade qualquer elemento cultural de Teresina. Não só a música que já tem esse espaço brilhante, mas a dança, a capoeira, as danças afros, todos os elementos da cultura nós podemos levar a qualquer área da região de Teresina”, esclareceu o presidente da FMC.

Para Leonardo Mascarenha, ativista comunitário que desenvolve um trabalho com jovens na região do grande Dirceu, na zona Sudeste da capital, essa descentralização cultural proposta pela Prefeitura de Teresina é um passo muito importante para democratizar o acesso à cultura. “Isso me faz acreditar que nossos jovens terão mais oportunidades culturais, fato que só vem a engrandecer as comunidades periféricas”, destaca Leonardo Mascarenhas.

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

Arte na Rua e Festival Junino de Teresina são lançado no Parque Encontro dos Rios (Foto: Romulo Piauilino)

=
Com Informação da Prefeitura de Teresina

Continue lendo

Câmbio

Capa

Tempo

Caro leitor,

Diariamente você recebe dezenas notícias no seu whatsapp. Algumas são verdadeiras, outras não.

Por isso, é tão importante poder contar com uma fonte de informação confiável – e independente.

É isso que nós fazemos. Produzimos conteúdo. De relevância e com qualidade. Nós checamos as informações antes de publicar para que você receba apenas a verdade.

Nós analisamos os fatos para que você construa sua opinião. Nós entrevistamos pessoas, confrontamos autoridades e cobramos resultados do setor público.

O Jornal Diário do Povo faz jornalismo. E para fazer bem feito, nós precisamos do seu apoio. Assine o jornal. Custa pouco, mas vale muito. 

Banca de Jornal

Popular